Construção civil segue demitindo pelo 33º mês consecutivo, aponta SindusCon-SP

Pesquisa realizada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que o setor da construção civil demitiu nove mil trabalhadores em junho, o que representa uma queda de 0,39% sobre o mês anterior. O recuo mensal é o 33º consecutivo.

O estoque atual de trabalhadores passou a ser de 2,457 milhões no sexto mês de 2017, frente aos 3,57 milhões referente ao início da variação negativa, em 2014. Em 12 meses, a redução foi de 11,37%.

Entre os segmentos, as demissões foram maiores em Obras de Acabamento (-0,85%) e Obras de Instalação (-0,82%). Por outro lado, registraram alta em junho Infraestrutura (0,64%) e Engenharia e Arquitetura (0,40%).

Na análise por região, três apresentaram queda em junho, sendo elas Sul (0,85%), Nordeste (-0,46%) e Sudeste (-0,46%). Ficaram com alta o Norte (0,82%) e o Centro-Oeste (0,33%). Os estados que registraram os maiores números de demissões foram Piauí (-2,20%), Sergipe (-1,92%), Paraná (-1,49%) e Roraima (-1,12%) e as maiores contratações Acre (4,61%), Tocantins (3,53%), Maranhão (2,26%) e Mato Grosso (2,13%).

Estado de São Paulo

O estado de São Paulo teve queda de 0,39% no estoque de trabalhadores no mês de junho. O número passou de 679,5 mil em maio para 674,8 mil em junho. Nos últimos 12 meses, houve queda de 10,40%, o equivalente a redução de 78.375 trabalhadores.

Os segmentos que demitiram foram Obras de Acabamento (-1,68%) e Obras de Instalação (-1,46%). Ficaram com variação positiva Engenharia e Arquitetura (1,57%) e Preparação de Terrenos (0,16%).

Entre as regiões, a única com crescimento foi São José dos Campos (0,63%), sendo as maiores quedas ficaram em Santos (-1,40%) e Campinas (-1,15%).

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb.

Veja também: