Para Abrainc e Fipe, construção civil também apresenta sinais de recuperação

A Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) divulgaram nesta quarta-feira (30) o Radar Abrainc-Fipe que indicou no segundo trimestre nota média de 3,4 pontos nas condições de mercado da construção civil. O resultado é 0,9 ponto superior a dezembro de 2016 e 0,7 ponto em relação a junho de 2017.

O ambiente do setor obteve nota média de 2,9 pontos no trimestre. Entre seus itens, houve alta nos lançamentos, totalizando 3,0 pontos. Os outros dois itens, insumos (5,6 pontos) e preço de imóveis (0,0 ponto), apresentaram queda de 0,1 e 0,2 ponto, respectivamente. No ambiente macro, a média no trimestre foi de 4,8 pontos, com 7,3 pontos relativos aos juros, 3,6 pontos para a confiança e 3,5 pontos para a atividade.

Já a demanda, que é composta pelos itens atratividade do investimento imobiliário (6,2 pontos), massa salarial (1,7 pontos) e emprego (0,0 ponto), obteve nota média de 2,7 pontos. O crédito imobiliário, por sua vez, registrou 3,7 pontos, o item de atratividade do financiamento imobiliário atingiu 0,4 ponto, as concessões reais 5,3 pontos e condições no financiamento com 5,3 pontos.

A pesquisa aponta que o mercado vem passando por uma leve recuperação desde o final de 2016, principalmente pelas melhoras no ambiente macro e no crédito imobiliário. Porém, melhoras significativas dependem da taxa de desemprego e da ampliação da massa salarial.

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb.

Veja também: