Preço de imóveis residenciais continua a apresentar queda no Brasil

Divulgado na última segunda-feira (21) pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o Índice Geral do Mercado Imobiliário Residencial (IGMI-R) recuou 0,19% em julho, após cair 0,09% no mês anterior. Em 12 meses, porém, o ritmo de diminuição dos preços das unidades está desacelerando: passou de -1,59% de junho para -1,48% no mês seguinte.

De acordo com a Abecip, influenciaram diretamente na recuperação do ritmo dos negócios do setor imobiliário a queda dos juros, a diminuição da renda familiar devido aos empréstimos e o aumento significante dos postos de empregos.

Em 12 meses, as nove capitais do IGMI-R apresentaram variação negativa, porém quatro aumentaram o ritmo de queda: Belo Horizonte (-2,31% em junho para -2,34% em julho), Recife (-1,27% para -1,30%), Rio de Janeiro (-4,21% para -4,28%) e Salvador (1,63% para 1,71%). Nas demais os resultados foram: Goiânia (2,32% para 2,05%), Curitiba (0,24% para 0,11%), São Paulo (1,10% para 0,78%), Fortaleza (0,90% para 0,81%) e Porto Alegre (0,70% para 0,49%).

“A trajetória dos preços dos imóveis residenciais no Brasil continua apresentando uma relativa melhora apenas na forma de desaceleração do ritmo de queda nos preços nominais”, diz a pesquisa. “Os efeitos mais fortes desses fatores sobre os preços dos imóveis residenciais ainda devem levar algum tempo, principalmente no contexto das incertezas que dificultam decisões mais sensíveis a condições de longo prazo”, completa.

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb.

Veja também: