Secovi-SP: venda de imóveis em São Paulo cresce 9,6% no primeiro semestre de 2017

Pesquisa do Mercado Imobiliário realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo (Secovi-SP) registrou alta de 9,6% nas vendas de imóveis novos no primeiro semestre deste ano na cidade de São Paulo, com 7.888 unidades. No mesmo período de 2016, 7.194 unidades foram negociadas.

Na comparação mensal, houve queda de 14,6% na passagem de maio para junho, com 2.170 e 1.853 unidades comercializadas, respectivamente. Em junho de 2016, 2.097 unidades foram vendidas, representando uma queda de 11,6% em relação ao mesmo mês deste ano.

Os lançamentos atingiram, no sexto mês de 2017, 1.502 unidades residenciais, um recuo de 34,7% na comparação com maio (2.300 unidades) e 31% inferior a junho de 2016 (2.178 unidades). No primeiro semestre, entretanto, houve crescimento de 10,3% em relação ao mesmo período de 2016 (5.933 unidades).

“O semestre positivo pode ser creditado aos resultados dos meses de maio e junho que, somados, representaram 51% das vendas e 58% dos lançamentos do período. Não podemos desconsiderar a sazonalidade do início do ano, com férias escolares e inúmeros feriados”, destaca o economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci.

Em junho, a tipologia de dois dormitórios foi predominante entre os lançamentos, com 913 unidades, e as vendas, com 1.112 unidades. Logo após ficaram os imóveis com três dormitórios com 332 unidades lançadas e 367 vendas, um dormitório com 203 lançamentos e 308 vendas, e quatro dormitórios ou mais com 66 unidades vendidas e 54 unidades lançadas. O maior VSO (Vendas Sobre Oferta) foi da tipologia de dois dormitórios, com 10,6%.

O Valor Global de Vendas (VGV) de junho totalizou R$ 1.050,9 milhão, cerca de 2,5% a menos que o acompanhado em maio (R$ 1.077,3 milhão) e 2,0% superior a junho de 2016 (R$ 1.030,8 milhão), se considerada a atualização do INCC-DI.

Já o VSO, que acompanha a porcentagem de vendas em relação a oferta disponível, registrou 8,1% em junho, queda de 9,0% frente ao resultado de maio e crescimento de 7,9% na comparação com junho de 2016.

Na análise por área útil, os imóveis entre 45 m² e 65 m² apresentaram a maior quantidade de vendas (654 unidades) e de oferta (7.283 unidades) em junho. Os lançamentos, por sua vez, registraram mais unidades com área útil entre 66 m² 85 m² (480 unidades) e também o melhor VSO de 8,8%.

Os imóveis com faixa de preço de R$ 240.000,01 e R$ 500.000,00 predominaram os indicadores com 657 unidades lançadas, 808 unidades vendidas e 9.271 unidades ofertadas. O melhor VSO, no entanto, ficou para imóveis com preço de até R$ 240.000,00, com 13,9%, representando 400 unidades vendidas divididas pelas 2.874 unidades em oferta.

Por zona da cidade, a Zona Oeste se destacou em grande parte dos indicadores, com 726 unidades lançadas e 535 unidades vendidas e com o maior VSO de 10,3%. A oferta maior ficou na Zona Sul, com 5.573 unidades.

O presidente do Secovi-SP, Flavio Amary, aposta na melhora no mercado devido a volta de depósitos na poupança. “Outra boa notícia é que a caderneta de poupança voltou a ser atrativa, mudando a tendência dos últimos dois anos de perda de arrecadação líquida. A reversão trará mais recursos para financiamentos imobiliários. O mercado aguarda agora a redução na taxa de juros e os ajustes nos critérios de concessão de financiamento”, finaliza.

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb.

Veja também: