Venda de imóveis residenciais registra queda de 0,15% em julho

O Índice FipeZap divulgado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e do ZAP Imóveis, apresentou em julho queda de 0,15% no preço nominal de venda de imóveis residenciais, entre as 20 cidades brasileiras que o índice acompanha. No acumulado entre o período, preço dos imóveis residenciais sofre retração de 0,38%. Conforme o IPCA/IBGE, a inflação esperada para julho é de 0,15%, enquanto para os sete primeiros meses de 2017 é de 1,34%.

Em julho, 12 das 20 cidades pesquisadas apresentaram queda nominal no preço de venda na passagem de mês, considerando as maiores quedas no Rio de Janeiro (-0,53%), Distrito Federal (-0,47) e Salvador (-0,45%). Durante o período, oito cidades obtiveram crescimento, sendo os maiores em Florianópolis (0,65%), Santos (0,41%) e Recife (0,37%).

Na análise dos últimos 12 meses, o Índice FipeZap registrou alta de 0,10%, enquanto a inflação acumulada foi de 2,62% no período. Mantendo a comparação, 9 das 20 cidades acompanhadas apresentaram queda nominal no preço de vendas, sendo as maiores no Rio de Janeiro (-2,59%), Niterói (-2,45%) e Distrito Federal (-2,32%). Já as cidades que registraram as maiores altas foram Belo Horizonte (5,95%) e Florianópolis (2,62%). O acumulado durante o período foi de 2,45%,

O valor médio de venda dos imóveis residenciais foi de R$ 7.654/m² entre as 20 cidades monitoradas, em julho. Nesta perspectiva, o Rio de Janeiro foi a cidade com o metro quadrado mais caro do País (R$ 10.028), seguido por São Paulo (R$ 8.680) e Distrito Federal (R$ 8.345). Por outro lado, as cidades com o menor preço médio por metro quadrado foram Contagem (R$ 3.529), Goiânia (R$ 4.118) e Vila Velha (R$ 4.651).

Na comparação por bairros, a capital paulista apresentou os preços mais altos na Vila Nova Conceição (R$ 16.480), Jardim Europa (R$ 15.120), Jardim Paulistano (R$ 14.727), Itaim (R$ 13.429) e Vila Olímpia (R$ 12.961). Já os bairros mais baratos foram São Miguel Paulista (R$ 4.141), Grajaú (R$ 4.024), Cidade A. E. Carvalho (R$ 4.012), Artur Alvim (R$ 3.833) e Cidade Tiradentes (R$ 2.711).

O Rio de Janeiro obteve os preços mais elevados por metro quadrado nos bairros do Leblon (R$ 21.012), Ipanema (R$ 19.744), Lagoa (R$ 17.976), Gávea (R$ 17.078) e Jardim Botânico (R$ 15.701). Os menores valores foram registrados nos bairros Inhoaíba (R$ 2.684), Senador Camará (R$ 2.506), Coelho Neto (R$ 2.491), Pavuna (R$ 2.416) e Cavalcanti (R$ 2.266).

Em Belo Horizonte, os bairros com os preços mais caros por metro quadrado foram Savassi (R$ 11.700), Funcionários (R$ 10.387), Lourdes (R$ 9.504), Belvedere (R$ 9.143) e Santo Agostinho (R$ 8.975). Enquanto os menores valores ficaram nos bairros Jaqueline (R$ 3.017), Conjunto Califórnia (R$ 2.901), Solar do Barreiro (R$ 2.766), Serra Verde (R$ 2.749) e Vale do Jatobá (R$ 2.462).

Vitória e Vila Velha registraram os maiores valores por metro quadrado nos bairros Barro Vermelho/Vitória (R$7.116), Mata da Praia/Vitória (R$ 6.881), Enseada do Suá/Vitória (R$6.298), Praia do Canto/Vitória (R$ 6.294) e Santa Helena/Vitória (R$ 5.746). Os menores valores, no entanto, ficaram nos bairros Santos Dumont/Vila Velha (R$ 2.993), Jockey de Itaparica/Vila Velha (R$ 2.535), Vale Encantado/Vila Velha (R$ 2.403), Boa Vista/Vila Velha (R$ 2.374) e Centro/Vitória (R$ 2.231).

A cidade de Porto Alegre apresentou os maiores valores por metro quadrado nos bairros Três Figueiras (R$ 9.752), Pedra Redonda (R$ 8.994), Bela Vista (R$ 8.300), Moinhos de Vento (R$ 8.069) e Praia de Belas (R$ 7.198). Os menores valores foram registrados nos bairros Vila Nova (R$ 3.677), Navegantes (R$ 3.504), Lomba do Pinheiro (R$ 3.302), Rubem Berta (R$ 3.261) e Restinga (R$ 2.754).

Curitiba, por sua vez, os valores mais elevados do metro quadrado por bairros ficaram em Batel (R$ 7.129), Centro Cívico (R$ 6.816), Campina do Siqueira (R$ 6.735), Alto da Glória (R$ 6.648) e Juveve (R$ 6.557). Já os preços mais baixos ficaram nos bairros de Bairro Alto (R$ 3.322), Sítio Cercado (R$ 3.300), Cachoeira (R$ 3.003), Tatuquara (R$ 2.999) e Campo de Santana (R$ 2.965).

Em Florianópolis os maiores valores por metro quadrado ficaram nos bairros Jurere Internacional (R$ 9.191), Agronômica (R$ 8.315), Jurere (R$ 7.783), Centro (R$ 7.661) e Pantana (R$ 7.208). Os bairros mais baratos foram Capoeiras (R$ 4.198), Ingleses (R$ 4.146), Carianos (R$ 4.025), Vargem do Bom Jesus (R$ 3.593) e Rio Vermelho (R$ 2.207).

A cidade de Recife registrou os valores mais elevados por metro quadrado nos bairros Pina (R$ 7.566), Poço (R$ 6.888), Jaqueira (R$ 6.872), Rosarinho (R$ 6.452) e Boa Viagem (R$ 6.288). Os preços mais em conta, ficaram nos bairros Boa Vista (R$ 4.195), Várzea (R$ 4.162), San Martin (R$ 3.971), Iputinga (R$ 3.810) e Derby (R$ 3.618).

Por último, a capital cearense apresentou os maiores valores por metro quadrado nos bairros Meireles (R$ 7.485), Mucuripe (R$ 7.447), Manuel Dias Branco (R$ 6.898), Praia de Iracema (R$ 6.892) e Guararapes (R$ 6.886). Enquanto os menores valores ficaram nos bairros Montese (R$ 3.034), Cajazeiras (R$ 2.981), Prefeito José Walter (R$ 2.960), Mondubim/Sede (R$ 2.941) e Vicente Pinzon (R$ 2.641).

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb.

Veja também: