Em off: bastidores da construção

Paciência chinesa

Com um faturamento global de cerca de US$ 60 bilhões por ano e mais de 100 mil empregados na China, o conglomerado China Communications Construction Company (CCCC) batalha para entrar no projeto da ferrovia Transnordestina, uma das obras de infraestrutura mais importantes do país. São 1.800 quilômetros de extensão, planejados para ligar os estados do Piauí, Pernambuco e Ceará aos principais portos da região: Suape (PE) e Pecem (CE). Mas está duro negociar com o empresário Benjamin Steinbruch, da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), que tem a concessão do projeto. Detalhe: a obra, iniciada em 2006, deveria ter ficado pronta em 2016. E os vagões, que já deveriam estar transportando grãos e minérios para os portos da região há um ano, estão enferrujando.

E os usuários?

Em parceria com o Instituto de Arquitetos do Brasil, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) enviou documento com propostas de melhoria para a consulta pública sobre os Projetos de Intervenção Urbana (PIUs) dos terminais municipais de ônibus Capelinha, Campo Limpo e Princesa Isabel, na cidade de São Paulo. A principal crítica foi a falta de detalhamento do texto para a concessão à iniciativa privada, que apresenta apenas uma análise urbanística atual dos locais e lista pequenas melhorias pontuais, como calçadas. “Não foi explicado o que se pretende mudar na operação dos terminais e em seu entorno, deixando a possibilidade de o concessionário investir mas sem detalhar as melhorias públicas esperadas”, afirma Rafael Calabria, pesquisador de mobilidade urbana do Idec. “A proposta não menciona ainda quais serão as vantagens para a sociedade, em especial os usuários de ônibus, que justificariam o projeto.” Com base em legislações como a Política Nacional de Mobilidade Urbana, as entidades sugerem a implantação de mapa dos itinerários das linhas, travessias elevadas e bicicletários, entre outros pontos. Para continuar a discussão, elas aguardam a nova fase de consulta pública, ainda sem data prevista.

Arquitetura do reconhecimento

Com o tema Alma da Cidade, a 26a edição do Congresso Mundial da União Internacional dos Arquitetos (UIA), programada para acontecer de 3 a 10 de setembro em Seul (Coreia do Sul), espera receber cerca de 30 mil profissionais de 124 países. Nesta edição, os organizadores elegeram como a principal discussão o reconhecimento global do papel de arquitetos e urbanistas na regeneração urbana, além da ampliação dos escopos da arquitetura para a vitalidade do ambiente urbano. O Brasil vai sediar a UIA-2020, que acontecerá no Rio de Janeiro.

 BATE-ESTACA 

Desrespeito monumental
Confeccionadas em ferro e pintadas de vermelho, as três esculturas vermelhas assinadas por Oscar Niemeyer que estavam instaladas no Mirante da Avenida Niemeyer, no Rio de Janeiro, viraram sucata. Agora, o amontoado de ferro “descansa” num depósito da prefeitura carioca.

Papel demais
Considerado um dos grandes gargalos para o setor da construção civil em todo o país, o excesso de burocracia chega a aumentar em até 12% o preço de um apartamento novo.

Subiu a construção…
Sem autorização, um empreendimento residencial no bairro de Cordeiro, em Itajaí (SC), estava usando o nome de Chico Buarque e incluía até trechos de músicas do artista nas propagandas do imóvel. Advogado do cantor e compositor, João Tancredo já notificou a construtora.

Prejuízo
A Odebrecht anunciou a venda de sua sede, em São Paulo e, ao receber uma proposta de R$ 300 milhões, desistiu do negócio. É porque só para construir a edificação a empresa havia investido R$ 500 milhões.

Veja também: