IPT lançará manual sobre gerenciamento de áreas contaminadas

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e o Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo (Secovi-SP) estão desenvolvendo um manual para auxiliar investidores do setor de incorporações imobiliárias de São Paulo na contratação de serviços de gerenciamento e áreas contaminadas ou potencialmente contaminadas.

“Um dos objetivos do manual é estabelecer um check list que poderá ser utilizado pelo empreendedor para definir qualitativa ou quantitativamente se a incorporação do imóvel contaminado é viável do ponto de vista técnico e financeiro”, comenta a pesquisadora do Laboratório de Resíduos e Áreas Contaminadas do IPT, Marcela Maciel de Araújo “A intenção é mostrar que a presença de contaminação ou potencial de contaminação nem sempre é um empecilho determinante e que, em muitas condições, vale a pena para os empreendedores realizarem o gerenciamento e a reabilitação dos terrenos de interesse”, acrescenta.

A publicação contará com estudo de viabilidade técnica e econômica, bem como um fluxograma de orientação para empreendedores, detalhando os serviços existentes de gerenciamento de áreas contaminadas, o tipo de serviço indicado para cada etapa do processo, além das prevenções que devem ser tomadas e critérios para contratação da empresa ou do prestador de serviço.

“O manual não se destina apenas a apontar a viabilidade da aquisição de imóveis potencialmente contaminados, mas a orientar, de maneira sucinta, o gerenciamento das áreas contaminadas por parte dos empreendedores imobiliários, cuja fiscalização cabe sobretudo à Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). O objetivo é a diminuição dos brownfields, a segurança dos empreendimentos e a busca do aumento da qualidade dos serviços prestados aos incorporadores, que terão uma noção mais exata do que contratar”, explica Marcela.

De acordo com o IPT, a elaboração do manual surgiu após uma grande demanda pelos imóveis nos centros urbanos do Estado de São Paulo, com a atratividade da localização e fácil acesso, mas que, entretanto, estão em sua maioria, inadequados para ocupação devido à má gestão de resíduos industriais que teve início em 1980, gerando o desinteresse dos empreendedores na compra.

A previsão de lançamento do manual é para fevereiro de 2018.

Veja também: