Preço de imóveis residenciais no Brasil continuam em queda, mostra Índice Fipezap

O Índice FipeZap, divulgado na última quarta-feira (4) pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e pelo ZAP Imóveis, registrou em setembro uma leve retração de 0,07% no preço nominal de venda de imóveis residenciais entre as 20 cidades brasileiras monitoradas. No acumulado do ano, a queda é de 0,56%. Vale lembrar que a inflação esperada pelo IPCA/IBGE é de 0,10% no mês e de 1,72% em 2017.

Em setembro, 13 das 20 cidades monitoradas tiveram diminuição nominal no preço de comercialização na comparação com agosto, sendo as maiores em Fortaleza (-0,82%), Rio de Janeiro (-0,57%) e Santo André (-0,41%). As cidades com crescimento nominal no preço médio entre o período foram Florianópolis (0,61%), Recife (0,40%) e Belo Horizonte (0,32%).

Nos últimos 12 meses, o preço médio dos imóveis residenciais recuou 0,26%. Nesta base de análise, 11 das 20 cidades analisadas registraram queda nominal no valor de venda, considerando as maiores nas cidades de Fortaleza (-4,04%), Rio de Janeiro (-3,58%) e Distrito Federal (-2,68%). As maiores altas, por sua vez, ficaram nas cidades de Belo Horizonte (5,00%) e Florianópolis (3,36%), superando a inflação do período de 2,48%.

O valor médio de venda dos imóveis residenciais no Brasil em setembro foi de R$ 7.636/m². Entre as 20 cidades pesquisadas, se destacaram o Rio de Janeiro (R$ 9.918), São Paulo (R$ 8.714) e Distrito Federal (R$ 8.287). Os menores valores, entretanto, ficaram em Contagem (R$ 3.533), Goiânia (R$ 4.096) e Vila Velha (R$ 4.630).

Na análise por bairro, a capital paulista apresentou os preços mais altos na Vila Nova Conceição (R$ 16.670), Jardim Europa (R$ 15.715), Jardim Paulistano (R$ 15.365), Itaim (R$ 13.648) e Vila Olímpia (R$ 13.099). Os menores valores foram registrados nos bairros Sapopemba (R$ 4.149), Capão Redondo (R$ 4.128), Grajaú (R$ 3.821), Artur Alvim (R$ 3.799) e Cidade Tiradentes (R$ 2.727).

No Rio de Janeiro, os valores mais elevados do metro quadrado por bairros ficaram no Leblon (R$ 20.880), Ipanema (R$ 19.484), Lagoa (R$ 17.728), Gávea (R$ 16.773) e Jardim Botânico (R$ 15.429). Enquanto os menores valores ficaram nos bairros Turiaçu (R$ 2.873), Senador Camará (R$ 2.639), Coelho Neto (R$ 2.558), Pavuna (R$ 2.335) e Cavalcanti (R$ 2.334).

A capital mineira apresentou os maiores valores por metro quadrado nos bairros Savassi (R$ 11.560), Funcionários (R$ 10.220), Lourdes (R$ 9.589), Santo Agostinho (R$ 9.430) e Belvedere (R$ 9.171). Já os bairros mais baratos foram Jaqueline (R$ 2.975), Minaslandia (R$ 2.891), Solar do Barreiro (R$ 2.766), Serra Verde (R$ 2.699) e Vale do Jatoba (R$ 2.147).

Em Vitória e Vila Velha os bairros com os preços mais caros por metro quadrado foram Barro Vermelho/Vitória (R$ 7.134), Mata da Praia/Vitória (R$ 6.843), Praia do Canto/Vitória (R$ 6.294), Enseada do Suá/Vitória (R$ 6.271), Morada de Camburí/Vitória (R$ 5.925). Os menores valores, no entanto, ficaram nos bairros Soteco/Vila Velha (R$ 2.958), Jockey de Itaparica/Vila Velha (R$ 2.470), Vale Encantado/Vila Velha (R$ 2.411), Boa Vista/Vila Velha (R$ 2.361) e Centro/Vitória (R$ 2.218).

Na cidade de Porto Alegre os maiores valores por metro quadrado ficaram nos bairros Três Figueiras (R$ 10.057), Bela Vista (R$ 8.281), Moinhos de Vento (R$ 8.165), Pedra Redonda (R$ 7.721) e Mont’Serrat (R$ 7.240). Os preços mais em conta, ficaram nos bairros Vila Nova (R$ 3.674), Navegantes (R$ 3.521), Rubem Berta (R$ 3.303), Lomba do Pinheiro (R$ 3.293) e Restinga (R$ 2.755).

Curitiba registrou os valores mais elevados por metro quadrado nos bairros Batel (R$ 7.174), Santo Inácio (R$ 6.955), Campina do Siqueira (R$ 6.820), Alto da Glória (R$ 6.751) e Juveve (R$ 6.650). Os menores preços foram registrados nos bairros Sítio Cercado (R$ 3.284), Barreirinha (R$ 3.282), Cachoeira (R$ 3.033), Campo de Santana (R$ 2.981) e Tatuquara (R$ 2.938).

Em Florianópolis, os valores mais elevados do metro quadrado por bairros ficaram Jurere Internacional (R$ 9.093), Agronômica (R$ 8.367), Jurere (R$ 8.064), Centro (R$ 7.811) e Pantanal (R$ 7.176). Os menores valores foram registrados nos bairros Carianos (R$ 4.356), Capoeiras (R$ 4.229), Ingleses (R$ 4.158), Vargem do Bom Jesus (R$ 3.690) e Rio Vermelho (R$ 2.222).

Na capital pernambucana os bairros com os preços mais caros por metro quadrado foram Pina (R$ 7.482), Poço (R$ 6.978), Jaqueira (R$ 6.971), Rosarinho (R$ 6.425) e Boa Viagem (R$ 6.354). Já os bairros mais baratos foram Campo Grande (R$ 4.395), Várzea (R$ 4.386), Cordeiro (R$ 4.252), Iputinga (R$ 3.825) e Derby (R$ 3.629).

Em Fortaleza, por fim, os preços mais altos por metro quadrado ficaram nos bairros Meireles (R$ 7.381), Mucuripe (R$ 7.300), Guararapes (R$ 6.875), Manuel Dias Branco (R$ 6.854) e Praia de Iracema (R$ 6.570). Os menores valores, no entanto, ficaram nos bairros Montese (R$ 3.078), Mondubim/Sede (R$ 2.988), Cajazeiras (R$ 2.949), Prefeito José Walter (R$ 2.917) e Vicente Pinzon (R$ 2.635).

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb

Veja também: