Vendas de apartamentos de até R$ 300 mil crescem 30% neste ano em Curitiba

Segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), as vendas de apartamentos compactos com preço de até R$ 300 mil cresceram 30% entre os meses de janeiro e setembro deste ano. A diretora da Senzala Imóveis, Augusta Cutinho Loch, acredita que há fatores que potencializam a comercialização destes imóveis como o controle do desemprego e da inflação, a redução da taxa de juros para financiamentos pelos bancos, liberação de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e aumento da confiança do consumidor.

“A finalidade da compra desses apartamentos compactos é para moradia, sendo o primeiro imóvel dos casais novos ou de quem está deixando o aluguel e a casa dos pais para morar sozinho. Esses jovens prezam pelo fácil acesso ao transporte público e proximidade a supermercados, farmácias, shoppings e do local que estudam e trabalham ”, explica a diretora, ao destacar a faixa etária de 18 a 35 anos dos compradores dos imóveis de 1 dormitório, sem vaga de garagem e geralmente localizados no Centro da capital paranaense.

A área de lazer do condomínio se tornou outro fator importante nas vendas. “Itens como piscina, salão de festas, academia e cinema permitem a diversão sem sair de casa. Além de compra, esse público também procura apartamentos para alugar com essas características, o que pode ser uma boa opção de investimento imobiliário”, acrescenta Augusta.

Conforme os dados do Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial (Inpespar), as kitnets e apartamentos de um dormitório correspondem atualmente a 4,5% da oferta final de imóveis usados a venda (1.300 unidades), enquanto os studios, lofts e apartamentos de 1 dormitório representam 18,7% (1.539 unidades) dos imóveis residenciais à venda em Curitiba, de acordo com a Ademi/PR.

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb

Veja também: