Vendas de imóveis registram maior número desde agosto de 2013, aponta Secovi-SP

Em agosto, as vendas de imóveis residenciais novos cresceram 50,6% na comparação com julho na capital paulista. Ao todo, foram 1.865 comercializações – o melhor resultado desde agosto de 2013, conforme aponta a Pesquisa do Mercado Imobiliário realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo (Secovi-SP).

Nos meses de janeiro a agosto, as vendas atingiram 10.991 unidades, montante 20,8% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior, com 9.100 unidades.

Em relação aos lançamentos, agosto apresentou um volume 45% superior ao de julho, passando de 1.089 para 1.579 unidades colocadas no mercado. Na comparação com agosto de 2016 (1.177 unidades), o crescimento foi de 34,2%. Já no acumulado entre os oito primeiros meses do ano alta é de 11,7% com 9.215 unidades (2017) e 8.251 unidades (2016).

“O setor imobiliário está superando uma das piores crises da sua história, que causou redução da atividade imobiliária e econômica”, comenta o vice-presidente de Incorporação e Terrenos Urbanos, Emilio Kallas. “No entanto, a indústria imobiliária se vê impedida de lançar novos empreendimentos em virtude da legislação urbanística altamente restritiva e os excessos nas contrapartidas para aquisição de potencial construtivo, compensação ambiental e melhorias viárias”, acrescenta.

Na análise por tipologia, os imóveis com um dormitório foram os mais vendidos e lançados com 863 unidades cada. Os imóveis com quatro ou mais dormitórios também registraram alta, com 113 unidades lançadas e 98 unidades vendidas, obtendo o melhor VSO de 7,6%.

O VGV (Valor Global de Vendas) em agosto foi de R$ 972,5 milhões, alta de 64,5% na comparação com julho (R$ 591,3 milhões) e resultado 86,9% superior ao resultado de agosto de 2016 (R$ 520,4 milhões).

O VSO (Vendas Sobre Oferta), também obteve alta encerrando o mês com 8,7%, frente aos resultados de 5,7% de julho e 4,2% de agosto do ano passado. Nos últimos 12 meses, o resultado foi de 40,8%, crescimento de 4,4% e de 7,6% na comparação com julho e agosto de 2016, respectivamente.

Já em relação a área útil, os imóveis com até 45 m² foram os que se destacaram com 1.135 lançamentos e 1.154 vendas, registrando o melhor VSO (15,2%). Na oferta final, os imóveis entre 45 m² e 65m² são os com mais unidades, 6.718 imóveis.

Na faixa de preço, a procura maior foi por imóveis de até R$ 240.000,00 com 584 unidades lançadas, 680 unidades comercializadas e melhor VSO 24,1%. A maior quantidade de imóveis para oferta final ficou na faixa de preço de R$ 240.001 a R$ 500.000 (8.675 unidades).

Por fim, na comparação por zonas da cidade, a região Leste se manteve com o maior número de imóveis comercializados (645 unidades) e maior VSO (12,8%), enquanto a zona Oeste obteve o maior número de lançamentos (577 unidades) e o segundo maior VSO (11,6%). A oferta maior ficou na zona Sul, com 5.223 unidades disponíveis.

“O sucesso de vendas dessa tipologia está atrelado ao preço, à localização e à tendência dos arranjos unifamiliares. São imóveis com preços na faixa de até R$ 500 mil, com até 45 m² de área útil, que ficam próximos a estações de metrô”, explica o economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci.

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb

Veja também: