Ritmo de queda no preço de imóveis diminui no Brasil, aponta Abecip

Calculado pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o Índice Geral do Mercado Imobiliário Residencial (IGMI-R) caiu 0,02% em outubro na comparação com o mês anterior. A variação é menor do que a apresentada na última pesquisa: 0,07%. Em 12 meses, o recuo chega a 0,86%.

Na variação mensal, tiveram altas nominais as cidades de São Paulo (0,01%), Recife (0,03%), Curitiba (0,13%) e Goiânia (0,46%). Por outro lado, o preço dos imóveis diminuiu Rio de Janeiro (-0,20%), Belo Horizonte (-0,06%), Fortaleza (-0,15%), Porto Alegre (-0,15%) e Salvador (-0,03%).

Em 12 meses, a única capital a registrar crescimento foi Curitiba, com taxa de 0,72%. Os resultados das demais cidades foram de: Rio de Janeiro (-3,66%), Fortaleza (-0,91%), Porto Alegre (-0,12%), Belo Horizonte (-2,36%), Salvador (-0,13%), São Paulo (-0,07%), Recife (-0,62%) e Goiânia (-0,87%). “Apesar de Curitiba ser a única entre as nove capitais a apresentar ganhos nominais em outubro, dentre as demais, com exceção de Belo Horizonte e Salvador, todas tiveram reduções no ritmo de queda dos preços nominais entre setembro e outubro, a exemplo do indicador para o Brasil, que passou de uma variação acumulada em 12 meses de -1,03% em setembro para os -0,86 de outubro”, diz a Abecip.

Ainda de acordo com a entidade, “os números recentes do IGMI-R/ABECIP mostram que este início de recuperação vem acontecendo aos poucos no mercado imobiliário residencial, dentro da defasagem que se pode esperar do setor com relação à reversão do ciclo econômico”.

Veja também: