Comparativo entre laje maciça e pré-laje | Construção Mercado

Custos e Suprimentos

Comparativo entre laje maciça e pré-laje

Comparativo foi realizado para edifício de 19 pavimentos, com duas torres

Por Pâmela Reis | Apoio de engenharia: Fernando Benigno
Edição 105 - Abril/2010

Para construir o edifício Brisas Residence Club, com duas torres de 19 pavimentos cada, a construtora A. Yoshii comparou a laje moldada in loco - ou maciça - com o sistema de pré-lajes, em que parte da laje de concreto é pré-moldada no próprio canteiro. Em função da industrialização do processo, a escolha pelo sistema pré-moldado resultou em redução de etapas e economia de tempo e dinheiro.

O sistema funciona assim: sobre um piso de concreto polido, feito no próprio canteiro, a equipe dispõe uma série de perfis metálicos delimitando o desenho da laje. Entre esses perfis, é montada a armadura e despejado o concreto fresco, separado do piso de concreto polido apenas por uma camada de desmoldante. Depois de prontas e curadas, as pré-lajes - no formato exato de cada cômodo - são posicionadas sobre as vigas e pilares do edifício com auxílio da grua, e recebem uma segunda camada de concreto fresco, que complementará a espessura da laje.

"No início, optamos pela pré-laje para conseguir um acabamento diferenciado no teto do apartamento", explica o engenheiro Leonardo Schibelsky, coordenador de obras da construtora. Moldada sobre uma superfície lisa e feita sob medida para cada cômodo, a pré-laje elimina as emendas de concreto que normalmente se formam na junção entre as fôrmas de uma laje convencional. Consequentemente, não é preciso revestir o teto ou executar um tratamento para eliminar e nivelar essas emendas. "Conseguimos um acabamento perfeito [na face inferior]. Resta apenas aplicar massa corrida e pintura", afirma o engenheiro.

A ausência das fôrmas também reduz consideravelmente a quantidade de escoras necessárias. A pré-laje funciona como uma grande fôrma para receber a segunda camada de concreto. O escoramento é usado apenas em alguns pontos para evitar que a laje se flexione com o peso do concreto e a movimentação das pessoas. Como se vê na tabela em destaque, o valor gasto com o escoramento cai de R$ 71,4 mil na laje maciça para R$ 14 mil na pré-laje.

Marcelo Scandaroli
Laje moldada in loco exige espaço e número maior de etapas de execução
Prazos mais curtos

Outro ponto a favor do sistema pré-moldado foi o encurtamento dos prazos. Segundo Schibelsky, com as pré-lajes prontas e estocadas, em três ou quatro horas é possível montar um pavimento inteiro, restando apenas lançar o complemento de concreto. Além disso, a laje maciça tem uma etapa extra de execução: "Gastaríamos ainda mais tempo para tirar todo o escoramento e desenformar as lajes", garante Schibelsky. "Concretar sobre o piso é muito mais rápido". O engenheiro estima que o uso das pré-lajes reduzirá de dez para oito meses o tempo de execução da estrutura de cada torre.

Além da agilidade, as pré-lajes transferem parte do serviço que seria realizado em alturas elevadas para o nível do chão, facilitando o trabalho dos operários. "Fazemos 40% do lançamento do concreto no térreo, o que aumenta a segurança dos funcionários. Sobra um volume menor de serviço para ser feito sobre a laje", explica Schibelsky.

Divulgação: A. Yoshii
Laje pré-moldada eliminou emendas de concreto entre fôrmas e reduziu prazo de concretagem
Mas o sistema também tem suas desvantagens. A grua, por exemplo, é imprescindível para o transporte das peças pré-moldadas, enquanto na execução da laje maciça esse equipamento pode ser dispensado. Schibelsky lembra, no entanto, que o uso da grua não é definido em função de apenas um serviço, e que o equipamento seria utilizado nessa obra independente da solução escolhida para as lajes. Outra ressalva é a necessidade de espaço livre no canteiro para executar o piso de concreto polido, onde são moldadas as pré-lajes.

Com esses requisitos atendidos, a construtora A. Yoshii conseguiu reduzir em 13% os custos da pré-laje frente à cotação da laje maciça. "Dentro da estrutura, que é um item pesado no orçamento, foi uma economia considerável", finaliza Schibelsky.


Observações: o custo da grua não está discriminado pois foi considerado que já está incluso no valor do lançamento do concreto.
Laje maciça: as fôrmas de chapa compensada para a laje maciça podem ser reutilizadas até dez vezes.
Laje pré-moldada: piso em concreto para execução das lajes: 1 - a fôrma em tábua de pinus foi utilizada para delimitar o piso onde serão feitas as pré-lajes; 2 - de acordo com a empresa, o perfil metálico utilizado para a fôrma das pré-lajes foi uma cantoneira metálica de 5 cm x 5 cm com chapa 14; 3 - o polimento do piso foi feito por empresa especializada; 4 - a área do piso é aproximadamente 30% maior que a área das lajes. Supraestrutura: 1- quando a pré-laje é concretada no piso, o lançamento do concreto é manual. Depois de transportada para a laje, o complemento de concreto é lançado com auxílio da grua; 2 - de acordo com a empresa, o custo do escoramento é menor na pré-laje pois a quantidade de escoras é menor e o tempo de execução da estrutura se reduz de dez para oito meses.

 

Esta seção mostra estudos feitos pelas construtoras. As projeções só valem para o caso apresentado. O sistema apontado como mais competitivo pode mostrar-se inviável em obras com outras características e dimensões. O estudo apresentado não deve ser tomado como padrão estrito para decisões de orçamento e escolha de materiais ou sistemas. Construtoras poderão enviar estudos comparativos para publicação nesta seção. Fale com a Redação pelo telefone (11) 2173-2303 ou envie e-mail para construcao@pini.com.br.

 

Veja também

aU - Arquitetura e Urbanismo :: Catálogo :: ed 0 - Novembro 2012

Mudança dos cômodos da casa ao longo da história é retratada em livro

Destaques da Loja Pini
Aplicativos