Como as redes varejistas contratam | Construção Mercado

Negócios

Como as redes varejistas contratam

Redes varejistas são grandes contratantes de serviços de manutenção, mas segmento ainda tem muito a crescer

Por Thays Tateoka
Edição 107 - Junho/2010

Mesmo com a desaceleração do mercado devido à crise financeira, o comércio varejista brasileiro apresentou em 2009 crescimento de 5,9% em vendas. Nos próximos anos, a presença de marcas internacionais e o processo de fusões e aquisições no setor devem garantir mais expansão. Entretanto, em relação à manutenção predial, o segmento ainda está em desenvolvimento.

"Muitas vezes os proprietários consideram a manutenção como uma despesa e preferem realizá-las da forma mais econômica ou em projetos de reforma", diz o engenheiro Tito Lívio Ferreira Gomide, do gabinete Gomide de Perícias, Avaliações e Consultorias. Segundo ele, os recursos destinados à manutenção predial são reduzidos até por não existir ainda uma cultura forte de conscientização, que deve ser iniciada na entrega do empreendimento ao proprietário.

Geralmente as empresas varejistas mantêm equipes enxutas de manutenção para gerenciar as atividades, que são executadas tanto por empresas especializadas em manutenção predial como por prestadores de serviços específicos. A rede Leroy Merlin definiu sua estratégia de acordo com a periodicidade e criticidade dos sistemas. As atividades de manutenção com frequência menor que 30 dias são realizadas pelas equipes internas; as mensais, trimestrais, semestrais e anuais são realizadas por empresas de engenharia de manutenção predial (veja boxe).

Na Leroy, em até três meses antes do lançamento da loja, o departamento de obras providencia a contratação e a capacitação da equipe interna de manutenção e realiza o processo de concorrência para contratar a empresa de engenharia especializada que ficará dedicada àquela unidade (veja boxe).

Há também aquelas que preferem trabalhar com contratos por demanda. Nesses casos, o departamento interno de manutenção realiza o checklist das inspeções de conformidade e prioriza a contratação dos serviços que garantem a perenidade das atividades. "Na manutenção predial de um shopping, por exemplo, a criticidade está nas instalações elétricas, enquanto que em redes supermercadistas a manutenção de frio alimentar é essencial", diz Rodrigo Gonzalez, diretor da Manserv, empresa que oferece soluções integradas em manutenção e serviços industriais, facilities e logística.

Como entrar no mercado

Para Domingos Aimola Junior, diretor de manutenção da rede Walmart Brasil, a ideia de se ter uma empresa mantenedora é aceita no mercado, mas a prática de fato ainda é incipiente. "Na rede supermercadista há uma forte demanda por empresas especializadas em manutenção e gestão da qualidade de equipamentos, capazes também de executar pequenos serviços de construção civil em abrangência nacional". Segundo ele, além de empresas de facility ou retrofit, podem ganhar esse mercado construtoras que agrupem técnicos de manutenção em equipamentos de frio alimentar, ar condicionado, elevadores, elétrica e hidráulica, sejam eles contratados ou fornecedores.

Assim, as construtoras que tiverem a possibilidade de agregar às suas atividades serviços correlatos ao que se está oferecendo ao cliente podem conquistar contratos mais robustos. Mas se ela não desejar ser uma mantenedora, há ainda a opção de prestar serviços a essas empresas. "Elas podem atuar na manutenção de projetos, opinando de forma mais pró-ativa na otimização da prestação do serviço e propondo novas soluções para a eficiência de atendimento", sinaliza Rodrigo Gonzalez, da Manserv.

Walmart: mais de 500 lojas para manter

Com atuação nacional e mais de 500 lojas em todo o País, a rede é detentora das marcas Walmart, Big, Nacional, Mecadorama, Todo Dia, Bompreço e Hiper Bompreço, além das redes atacadistas SAM's Club e Maxxi. Para cada marca há uma forma de gestão. "Como o grande ativo da empresa são os sistemas de refrigeração e a agradabilidade do espaço físico, em algumas lojas contratamos encarregados técnicos capazes de acompanhar demandas emergenciais e corretivas como pequenos reparos elétricos ou hidráulicos", diz Domingos Aimola, diretor de manutenção da rede Walmart Brasil.

No que tange aos serviços de obras civis, a entrega de uma nova unidade é acompanhada durante 60 dias pelas equipes de novas obras e de manutenção. Depois, a ação é conjunta entre os departamentos de manutenção e de projetos especiais. São práticas comuns procedimentos de repintura, avaliação de condições estruturais, reformas e melhorias mediante aprovação e análise das três equipes. "O planejamento de reformas e manutenção estrutural é anual e criado a partir de três processos decisórios: a capacidade de investimento da loja, o conhecimento interáreas da demanda solicitada e de acordo com os novos projetos almejados pela presidência", diz Luiz Eduardo Frediani De Moura, gerente de projetos de reformas.

Os contratos de prestação de serviços também variam de acordo com a regional solicitante e o tipo de manutenção a ser executada. Os pequenos reparos em elétrica e hidráulica, a manutenção de pisos e revestimentos e a conferência dos sistemas e equipamentos de ar condicionado, geradores ou elevadores ficam por conta da equipe interna. Já em âmbito civil, a manutenção tem como preocupação a usabilidade das unidades e torna-se corretiva e emergencial, sendo executada por empresas parceiras nas mais diversas áreas.

Leroy Merlin: mais de 760 itens a verificar

Há oito anos, a rede varejista no Brasil conta com um departamento de obras que auxilia cada unidade na implantação do Programa de Manutenção LM para tratar a manutenção preventiva e preditiva. Para garantir a rastreabilidade de tudo que foi entregue, o técnico de cada unidade recebe um manual de manutenção com todas as informações sobre a instalação predial, bem como os fornecedores envolvidos, além de um checklist semanal com cerca de 150 itens. São atividades cotidianas: a verificação dos sistemas de incêndio e alarmes, os geradores de emergência, bem como instalações elétricas e hidráulicas.

Além disso, o grupo mantém um sistema próprio de manutenção que apresenta indicadores como em uma auditoria, em que é possível avaliar o risco de cada unidade e as ações a serem tomadas em cada caso. Com esse sistema, é possível comparar o desempenho de cada unidade e detectar pontos de melhoria, as dificuldades e a necessidade de treinamento das equipes. Para Pedro Sarro, arquiteto e diretor de obras da Leroy Merlin, o programa ajuda a evitar a manutenção predial corretiva com custos diretos e indiretos muito elevados: "Quando isso acontece, é porque a manutenção preventiva não está ocorrendo da forma correta".

Já os serviços com periodicidade acima de 30 dias são executados por empresa de engenharia especializada em manutenção predial selecionada por concorrência. Entre os requisitos, a Leroy Merlin exige experiência em manutenção predial no varejo e registro de capacitação técnica comprovada no Crea (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) . A empresa ficará responsável por 60 atividades de manutenção que totalizam um checklist com mais de 796 itens, abrangendo os sistemas de ar condicionado, proteção e combate a incêndio, água potável, esgoto, instalações elétricas e equipamentos como monta-cargas, elevadores e esteiras.