Gerenciamento com diagramas de rede | Construção Mercado

Construção

Gerenciamento com diagramas de rede

Diagramas de rede e linhas de balanço são técnicas de gerenciamento que, utilizadas em canteiros de obras, oferecem horizonte promissor para a melhoria dos cronogramas

Alfredo Rodrigues dos Santos
Edição 128 - Março/2012

O volume de projetos imobiliários em andamento é o maior da história do Brasil. O acesso ao crédito, o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), o déficit habitacional, as obras da Copa de 2014, além de outros fatores, fomentam o crescimento da indústria da construção civil. A escassez de mão de obra e outros recursos é problema bastante discutido no momento.

Neste cenário, as empresas e profissionais que integram esta indústria devem procurar aumentar a eficiência dos seus processos, passando inevitavelmente pela necessidade de melhorar o gerenciamento do tempo em seus projetos. A técnica de diagrama de rede para sequenciamento e planejamento de atividades é bastante difundida pela literatura de gerenciamento de projetos e se faz presente como conteúdo pedagógico em diversos cursos de ensino superior, principalmente nos cursos de engenharia (civil, elétrica, produção, metalúrgica, mecânica etc.).

No entanto, se tentarmos analisar a sua aplicação efetiva na indústria da construção civil, veremos que a aplicação da técnica em sua forma clássica praticamente inexiste nos canteiros de obras do País. A falta de uso desta importante e útil ferramenta ocorre devido a vários fatores, dentre eles:
A quantidade de profissionais treinados para usar e interpretar este tipo de diagrama é muito pequena na construção civil;
Projetos imobiliários muitas vezes possuem centenas de pacotes de trabalho e milhares de atividades, desencorajando os profissionais a partirem para o uso dos diagramas de rede;
Os cronogramas de barras (gráficos de Gantt) são mais conhecidos e contam com o sucesso de softwares como o MS Project, da Microsoft, que são ferramentas bem populares de planejamento.


ACERVO PESSOAL
[ Novas técnicas surgem, resgatando os benefícios dos diagramas de rede, para aplicação em projetos imobiliários, sobretudo na construção de prédios verticais com mais de cinco pavimentos ]








Novas técnicas

Os benefícios do uso dos diagramas de rede, como a representação simples de uma sequência de eventos, e a visão estratégica dos caminhos subcríticos e críticos de um projeto não são substituídos pelos complexos cronogramas de barras. A enorme quantidade de pacotes de trabalho e atividades resulta em longos cronogramas de barras, se estendendo por páginas e páginas, impossibilitando a análise rápida das interdependências entre as atividades e dos pacotes de trabalho.

Contudo, novas técnicas estão surgindo, resgatando a essência e os benefícios dos diagramas de rede em sua forma mais clássica, para aplicação em projetos imobiliários, sobretudo na construção de prédios verticais com mais de cinco pavimentos. As linhas de balanço (lines of balance) representam a técnica mais difundida na Europa e que vem ganhando espaço em canteiros de obras brasileiros. Esse formato é comumente chamado de “tempo x caminho” por muitos profissionais.

Basicamente, as linhas representam as atividades. Elas estão dispostas em um gráfico quadriculado onde cada quadrado na horizontal representa uma unidade de tempo e na vertical um pavimento ou andar da edificação. Se fizermos uma análise pontual, como a exemplificada na figura 1, podemos ver que cada ponto na linha que representa a atividade corresponde a uma data e ao mesmo tempo corresponde a determinado trecho da edificação. A marcação em vermelho demonstra que o ponto assinalado corresponde à atividade «Alvenaria», que deve ocorrer no 16o pavimento, no segundo quarto do mês de janeiro de 2012.



Pode, à primeira vista, não parecer, mas esta técnica segue os mesmos princípios dos Diagramas de Rede, onde as atividades são ordenadas de forma lógica e podem ser analisadas estrategicamente. Se exemplificarmos de forma simples o uso do diagrama de rede para o planejamento do primeiro pavimento de um ta bela de ati vidades edifício, podemos ter a seguinte tabela de atividades, prazos e predecessoras. A tabela ordena as atividades e informa as características básicas no diagrama de rede da figura 2.

O exemplo da figura 2 ilustra uma sequência básica de atividades de apenas um pavimento. Partindo do princípio de que a sequência seja a mesma nos pavimentos superiores, a rede se repete, pavimento por pavimento, de forma recorrente.

Observando o diagrama de rede da figura 3, será fácil notar as semelhanças com as linhas de balanço. É importante tomar o cuidado de colocar os nós, ocupando espaços proporcionais à duração da atividade. Atividades com prazo maior, são compostas por nós proporcionalmente mais longos.

Esta técnica, com o nome de linhas de balanço ou com o nome de tempo x caminho, vem sendo usada no Brasil principalmente em obras de edifícios verticais, mas pode ser usada em vários tipos de projeto. Podemos usar o eixo vertical com a escala de percentual de avanço planejado, conforme exemplo da figura 4.

TABELA DE ATIVIDADES

Atividade Tempo em semanas Predecessora
INF – Infraestrutura 6  
EST – Estrutura 5 INF
ALV – Alvenaria 4 SUP
TUB – Tubulações 3 ALV
CHA – Chapisco 1 ALV
CMR – Contramarco 2 ALV
REB – Reboco 2 TUB, CHA, CMR
GES – Gesso corrido 2 REB
CPS – Contrapiso 2 GES
MAS – Massa corrida 2 GES
FIA – Fiação 2 CPS
ACB – Acabamentos 3 CPS, MAS
ESQ – Esquadrias 3 MAS
PIN – Pintura 2  
LPZ – Limpeza 1 PIN



Nesta configuração, as linhas de balanço podem ser usadas na maioria dos projetos. É importante frisar que estes diagramas não substituem por completo os cronogramas de barra (gráficos de Gantt), mas são ótimos recursos auxiliares para melhorar a qualidade do planejamento.

O uso destas ferramentas mostra-se perfeitamente aplicável às necessidades atuais, podendo facilmente ser interpretada não só por gerentes, engenheiros e planejadores, mas por mestres de obras e encarregados. Sua simplicidade gráfica e visão estratégica do projeto superam as ferramentas mais usadas e, principalmente, servem aos gerenciadores como recurso para criação, análise, conferência e aperfeiçoamento de cronogramas em diversos tipos de projeto.

Alfredo Rodrigues dos Santos engenheiro civil, com MBA em gestão de negócios e Project Management Professional certificado pelo PMI, gerente de projetos da Tecplaner
Destaques da Loja Pini
Aplicativos