Estaleiro em Maragogipe (BA) | Construção Mercado

Negócios

Estaleiro em Maragogipe (BA)

Obra privada deve movimentar a demografia das cidades vizinhas; governo do Estado investe na ampliação das estradas e infraestrutura

Edição 132 - Julho/2012

 

A cidade de Maragogipe, na Bahia, foi escolhida para abrigar o Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP), empreendimento de grande porte gerido pela iniciativa privada. O estaleiro está localizado na foz do rio Paraguaçu e começou a ser construído no ano passado por meio de um consórcio formado pela Odebrecht, OAS, UTC Engenharia e Kawasaki Heavy Industries.

Divulgação: Perspectiva EEP
O estaleiro vai ocupar cerca de 1,6 milhão de metros quadrados e terá capacidade para processar 36 mil toneladas de aço por ano na fabricação de navios e plataformas

A obra tem cerca de 1,6 milhão de metros quadrados e está em fase de terraplanagem. Aproximadamente 200 pessoas trabalham na construção e a previsão é de que o EEP esteja pronto e em operação no início de 2014. Segundo a Odebrecht, o estaleiro poderá processar 36 mil toneladas de aço por ano para fabricação de diferentes tipos de embarcações, como sondas de perfuração offshore e unidades flutuantes de armazenamento e transferência de petróleo, os chamados FPSO. A Petrobras já encomendou seis sondas a serem construídas no EEP.

Estão sendo investidos cerca de R$ 2 bilhões na construção do estaleiro. A expectativa é de que sejam criados três mil empregos diretos na obra e cinco mil após início da operação, além de dez mil empregos indiretos. "Em dezembro do próximo ano, teremos de quatro a cinco mil pessoas qualificadas para trabalhar nas obras de construção e reparo de plataformas e navios", afirma Silvio Santana, prefeito de Maragogipe.

O governo da Bahia concedeu abatimento de 90% no ICMS para as empresas envolvidas, enquanto o município desonerou o ISS em 60%, sob a condição de que 60% da mão de obra empregada e capacitada fosse de moradores locais. "No pico da obra, estimado para acontecer em 2013, cerca de 55% dos profissionais contratados serão prioritariamente da região", prevê Silvio Santana. "Para isso, serão fechadas parcerias com programas renomados de capacitação de empresas acionistas do EEP, como o Programa Acreditar, da Odebrecht, e o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás (Prominp), da Petrobras."

O Governo Estadual também está participando do projeto realizando melhorias na infraestrutura. "Estamos construindo estradas, reforçando pontes e instalando estrutura de água e esgoto para apoiar as empresas que se implantam por lá", afirma Carlos Costa, secretário da indústria naval e portuária da Bahia.

A expectativa é de que a obra aumente o fluxo populacional não apenas de Maragogipe, que tem hoje 42 mil habitantes, mas também dos arredores. "O crescimento não vai acontecer só focado nas quatro mil pessoas do estaleiro, nós precisaremos preparar também as cidades vizinhas com serviços. Teremos um fluxo de pessoas com maior poder aquisitivo circulando e se instalando na região", estima o secretário.

Condomínios em dobro
Levantamento da Colliers International Brasil aponta que a absorção líquida anual de condomínios logísticos deve duplicar em relação ao ano passado. No primeiro trimestre deste ano, foram entregues no mercado 251.450 m², com absorção de 70%. Para o próximo trimestre, estão previstos 619.000 m², dos quais, 19% já estão prélocados. O preço médio praticado no Brasil é de R$ 19,30 m²/mês. São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais foram responsáveis pela absorção de 89% do total nacional neste primeiro trimestre. Pernambuco, que apresentou participação relevante na absorção líquida de 2011, foi o quinto Estado que mais absorveu áreas no período, com 14.020 m², ficando atrás de Santa Catarina, com 16.000 m².

Primeiro trecho do BRT
No início de junho foi inaugurado o primeiro trecho do Bus Rapid Transit (BRT) Transoeste, o corredor expresso de 56 km que vai ligar a Barra da Tijuca aos bairros de Santa Cruz e Campo Grande, no Rio de Janeiro. Este primeiro trecho terá nove estações, de Pingo D´Água até Alvorada. A previsão é de que todo o sistema esteja em operação no segundo semestre deste ano. A obra custará R$ 900 milhões.

Hotéis em alta
Pesquisa divulgada em maio pela Jones Lang LaSalle aponta que os hotéis do Brasil apresentam a segunda melhor perspectiva de rentabilidade entre os países da América Latina, com posição de destaque no ranking de intenção de investidores para construção de novos empreendimentos. Na pesquisa, que estudou 18 mercados latino-americanos, as cidades que apresentaram melhor desempenho, na respectiva ordem, foram: Cidade do México, cidades metropolitanas brasileiras com população entre três milhões e seis milhões de habitantes e Rio de Janeiro e São Paulo, juntas no terceiro lugar.

Veja também

Equipe de Obra :: Obras :: ed 75 - Setembro de 2014

Certo e Errado

Equipe de Obra :: Projetos :: ed 75 - Setembro de 2014

Plantas - Saiba como ler projetos de armaduras

Destaques da Loja Pini
Aplicativos