Política de Estado requer marco legal e certeza de recursos, defende Celso Petrucci | Construção Mercado

Artigo

Minha Casa Minha Vida

Política de Estado requer marco legal e certeza de recursos, defende Celso Petrucci

Celso Petrucci
Edição 172 - Novembro/2015
 

[Urge que o MCMV 3 entre em operação de imediato, com parâmetros ajustados à realidade do mercado. É uma questão de sobrevivência para muitas empresas]

DIVULGAÇÃO: SECOVI-SP

O Minha Casa Minha Vida (MCMV) é o maior programa brasileiro de habitação de interesse social dos últimos 40 anos. Pela escala e ambição das metas propostas desde sua primeira fase, não seria exagerado dizer que também é um dos maiores programas habitacionais do mundo.

Em 2009, quando surgiu, o MCMV teve como meta a construção de 1 milhão de unidades, das quais 40% direcionadas à faixa 1 (famílias com renda mensal de até R$ 1.600), cujos recursos são totalmente provenientes do Orçamento Geral da União (OGU). Os demais 60% foram divididos entre as faixas 2 e 3, aquelas em que o mercado imobiliário opera com mais vigor. Nessas faixas, os recursos dependem pouquíssimo do OGU, pois o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é quem as financia.

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista Construção Mercado

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.