Obra residencial em Pernambuco gera economia ao fabricar nervuras in loco | Construção Mercado

Construção

Orçamento real

Obra residencial em Pernambuco gera economia ao fabricar nervuras in loco

A produção interna permitiu economizar quase 60% do valor contratado do que se o material fosse adquirido por meio de fornecedores

Dellana Wolney
Edição 192 - Julho/2017
A fabricação de todas as nervuras in loco substituiu a ideia inicial de adquirir as lajes treliçadas prontas de fornecedores locais. A mudança de estratégia gerou grande economia

A construtora e incorporadora Tenório Simões concluiu em outubro de 2016, no bairro Pau Amarelo, em Paulista (PE), as obras do Morada Costa Blanca. O residencial, que é composto de três blocos contíguos, quatro pavimentos e 36 unidades de 48 m² com suíte, se destaca pela localização, porque fica a 450 metros da praia.

Com uma área total construída (equivalente) de 3.153,04 m², a estrutura do empreendimento, que representa 19,72% do orçamento total, foi feita pelo método convencional. Porém, ao contrário do que normalmente se emprega em construções que utilizam esse método, o diretor da Tenório Simões, Rafael Simões, conta que a construtora decidiu fabricar todas as nervuras in loco.

'O planejamento inicial era adquirir as lajes treliças prontas, por meio de fornecedores locais. No entanto, o projeto estrutural contava com 14 tipos de peça, com o intuito de melhorar a suas composições, um controle praticamente inviável de ser realizado com uma produção terceirizada. Então, optamos por fabricar todas as peças internamente', afirma Simões.

Conteúdo exclusivo para assinantes da revista Construção Mercado

Outras opções