"Para que o setor sobreviva, as reformas precisam ser aprovadas" | Construção Mercado

Entrevista

José Romeu Ferraz Neto

"Para que o setor sobreviva, as reformas precisam ser aprovadas"

Para presidente do Sinduscon-SP, somente as mudanças nas leis trabalhistas e previdenciárias podem impulsionar a economia

Alexandra Gonsalez
Edição 192 - Julho/2017
ACERVO PESSOAL

Em meio a um semestre com turbulências políticas e econômicas no Brasil, a reforma da Previdência e a reforma trabalhista, duas das principais bandeiras do governo Michel Temer, tramitam no Congresso e devem ser analisadas por deputados e senadores ainda no próximo bimestre. Para o governo, as duas propostas são fundamentais para equilibrar as contas públicas e impulsionar a retomada da economia.

Essa também é a opinião do presidente do Sinduscon-SP, José Romeu Ferraz Neto. O líder da entidade no estado de São Paulo acredita que somente as aprovações das reformas poderão fazer com que o setor da construção civil retome o fôlego, evitando o fechamento de empresas do segmento. 'Sem as reformas não há muito o que esperar do Brasil', diz.

A reforma trabalhista foi aprovada pela Câmara no fim de abril e agora está no Senado. A da Previdência tramita na Comissão Especial da Câmara. Depois, precisará passar pelo plenário da Casa e pelo Senado antes de ser ratificada. Os principais pontos das mudanças nas leis trabalhistas preveem que os acordos entre patrões e empregados, por meio dos sindicatos, prevaleçam sobre a lei, mas respeitando a Constituição. Direitos como salário mínimo, 13o salário e licença-maternidade não mudam.

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista Construção Mercado

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.