Olhares diferentes (ou complementares) para a mesma obra | Construção Mercado

Artigo

Visão empresarial

Olhares diferentes (ou complementares) para a mesma obra

As visões distintas da arquitetura e da engenharia são os diferenciais que acabam gerando impasses, mas que podem ser resolvidos através de ajustes finos

Antonio Carlos Rodrigues
Edição 193 - Agosto/2017
ACERVO PESSOAL

A luz do ambiente onde você está é amarela ou branca? Se esta pergunta fosse feita a um arquiteto, com certeza ele saberia a resposta. Mas se a questão fosse direcionada a um engenheiro, ele provavelmente diria: o importante é que a luz está acesa e funcionando. Esse é apenas um exemplo do olhar desses profissionais sobre um mesmo projeto.

Não há certo nem errado. Apenas visões distintas devido à própria formação de cada um. Se a engenharia preza pelos cálculos, respostas e verdades absolutas, o arquiteto tem uma abordagem muito mais subjetiva. São esses diferenciais que muitas vezes geram impasses que podem fazer com que uma obra siga em um ritmo diferente do que deveria.

Ao longo da minha trajetória e com centenas de projetos, essa questão sempre me instigou a perguntar: por que às vezes é tão delicada essa relação numa obra, quando seria muito mais simples ampliar essa sintonia voltando o olhar para o resultado final?

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista Construção Mercado

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.