Nível de emprego na construção civil completa dois anos consecutivos em queda, diz SindusCon-SP | Construção Mercado

Gestão

Notícias

Nível de emprego na construção civil completa dois anos consecutivos em queda, diz SindusCon-SP

Em setembro havia 2,678 milhões empregados no setor, enquanto em outubro de 2014 esse número era de 3,57 milhões

Luísa Cortés, do Portal PINIweb
11/Novembro/2016
Shutterstock

O emprego na construção civil atingiu em setembro a marca de dois anos consecutivos em queda, de acordo com pesquisa divulgada nesta sexta-feira (11) pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), com informações do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE). No mês, 30.823 vagas de emprego foram fechadas, o que representa uma queda de 1,14% no nível de trabalhadores. Ao todo, são 2,678 milhões empregados no setor - em outubro de 2014 esse número era de 3,57 milhões.

Ao desconsiderar-se fatores sazonais, foram fechadas 48.068 vagas em setembro, o que representa queda de 1,8% no mês. Os cortes nos primeiros nove meses do ano totalizaram 225.069 e em 12 meses, 460.014.

O presidente do SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto, defende o resultado como reflexo da persistência de escassez de novos investimentos em construção. "Medidas que objetivem o reequilíbrio fiscal, como a instituição de um teto para os gastos públicos e a reforma da Previdência, são necessárias para recuperar a confiança dos investidores. Porém, não bastam para reaquecer a economia", afirma.

Romeu Ferraz pede, ainda, medidas como as reformas trabalhista e tributária, a racionalização das despesas do governo, a diminuição dos juros, a elevação da oferta de crédito e a agilização das concessões e parcerias público-privadas (PPPs) da União, de estados e de municípios. Segundo ele, tais ações estimulariam a produção e o emprego.

Os segmentos com maior queda em setembro, na comparação com o mês anterior, foram obras (1,30%) e acabamento (1,29%). No acumulado do ano, o segmento imobiliário foi aquele com o pior resultado (-17,76%), seguido por preparação de terreno (-14,92%). Os piores resultados foram observados nas regiões Sudeste (-1,36%) e Nordeste (-1,16%).

São Paulo

No estado de São Paulo, a queda no nível de emprego em setembro foi de 1,27% em relação a agosto. O índice representa uma perda de 9,22 mil vagas. Ao desconsiderar-se a sazonalidade, o recuo foi de 1,29% (-9,27 mil vagas).

Os segmentos com os piores desempenhos no mês foram obras de instalação (-1,93%) e imobiliário (-1,50%).

A queda registrada em setembro na capital paulista foi de 1,71% (-5.566 vagas). A cidade representa 44,5% do total de empregados no setor. Em 12 meses, a retração apresentada chegou a 13,96%.

A Regional do SindusCon-SP com a maior retração foi a de Santos (-1,84%), seguida por Santo André (-1,67%). A única a apresentar alta foi a de Presidente Prudente (0,47%).