Em maio, preço dos imóveis residenciais tem maior queda mensal desde 2012, aponta Índice FipeZap | Construção Mercado

Negócios

Notícias

Em maio, preço dos imóveis residenciais tem maior queda mensal desde 2012, aponta Índice FipeZap

Nenhuma das 20 cidades pesquisadas registra variação maior do que a inflação esperada para o mês

Da redação da PINIweb
2/Junho/2017
Shutterstock

O Índice FipeZap, calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o ZAP Imóveis, recuou 0,16% em maio na comparação com abril, sua maior queda mensal da série histórica iniciada em 2012. É importante ressaltar que a inflação esperada pelo Boletim Focus do Banco Central é de 0,46% para o quinto mês do ano.

Individualmente, 13 das 20 cidades pesquisadas apresentaram recuo nominal nos preços de venda de imóveis residenciais na variação mensal. Lideram os recuos Recife (-0,64%), Rio de Janeiro (-0,48%), São Caetano (-0,37%), Belo Horizonte (-0,36%) e Vitória (-0,35%). Já entre as cidades que registraram aumento nominal de preço, mas abaixo da inflação de maio, estão Santos (0,44%), Goiânia (0,35%), Vila Velha (0,27%), Fortaleza (0,16%) e Florianópolis (0,14%).

Considerando os últimos 12 meses, o Índice FipeZap registra alta de 0,46%, mas queda real de 3,17% graças à inflação acumulada de 3,75% para o período. Nessa base de comparação, oito das 20 cidades pesquisadas apresentam queda nominal nos preços de venda: Goiânia (-2,80%), Niterói (-2,56%), Rio de Janeiro (-1,99%), Distrito Federal (-1,43%), Fortaleza (-1,32%) e Recife (-0,78%). Por outro lado, entre as cidades que registraram elevação nos preços de venda, apenas em Belo Horizonte essa variação (7,32%) supera a inflação para o período.

Em maio, o valor médio de venda dos imóveis residenciais nas 20 cidades monitoradas foi de R$ 7.682/m². Rio de Janeiro se manteve como a cidade com o metro quadrado mais caro do país (R$ 10.132), seguida por São Paulo (R$ 8.683) e Distrito Federal (R$ 8.435). Já as cidades com menor valor médio por metro quadrado foram Contagem (R$ 3.519), Goiânia (R$ 4.121) e Vila Velha (R$ 4.644). Veja tabela completa abaixo.

Em São Paulo os bairros com os valores mais elevados do metro quadrado foram Vila Nova Conceição (R$ 16.497), Jardim Europa (R$ 15.353), Jardim Paulistano (R$ 14.246), Itaim (R$ 13.328) e Vila Olímpia (R$ 12.747). Os bairros mais baratos são São Miguel Paulista (R$ 4.127), Grajaú (R$ 4.000), Artur Alvim (R$ 3.856), Cidade A. E. Carvalho (R$ 3.835) e Cidade Tiradentes (R$ 2.842).

Na capital carioca os maiores preços ficaram nos bairros Leblon (R$ 21.028), Ipanema (R$ 20.002), Lagoa (R$ 18.023), Gávea (R$ 17.414) e Jardim Botânico (R$ 16.123). Os valores mais baixos foram apresentados nos bairros Inhoaíba (R$ 2.742), Senador Camará (R$ 2.607), Pavuna (R$ 2.555), Coelho Neto (R$ 2.500) e Cavalcanti (R$ 2.289).

Em Belo Horizonte os preços mais altos estão nos bairros Savassi (R$ 11.945), Funcionários (R$ 10.400), Santo Agostinho (R$ 9.818), Lourdes (R$ 9.545) e Belvedere (R$ 9.062). Já os bairros mais baratos são Rio Branco (R$ 3.062), Conjunto Califórnia (R$ 2.858), Solar do Barreiro (R$ 2.766), Serra Verde (R$ 2.718) e Vale do Jatoba (R$ 2.640).

Reprodução
Reprodução