Índice FipeZap: preço dos imóveis residenciais no Brasil fica praticamente estável em abril | Construção Mercado

Negócios

Notícias

Índice FipeZap: preço dos imóveis residenciais no Brasil fica praticamente estável em abril

Nos últimos 12 meses, alta acumulada é de 0,69%, abaixo da inflação esperada para o período, de 4,14%

Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb
5/Maio/2017
Shutterstock

O Índice FipeZap, que analisa o preço de venda de imóveis em 20 cidades do País, registrou variação de -0,01% em abril na comparação com o mês anterior. Nos últimos 12 meses, a alta acumulada é de 0,69%. Segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o ZAP Imóveis, as duas taxas se mantém abaixo da inflação, registrada em 0,20% em abril e em 4,14% no último ano.

Entre as cidades analisadas, nove apresentaram queda nos preços de venda na variação mensal: Fortaleza (-0,54%), Rio de Janeiro (-0,40%), Niterói (-0,35%), Recife (-0,29%), Vitória (-0,22%), Contagem (-0,22%), Curitiba (-0,18%), Porto Alegre (-0,15%) e Salvador (-0,03%). Por outro lado, quatro cidades - Vila Velha (+0,40%), Florianópolis (+0,36), Santo André (+0,29%) e São Paulo (+0,27%) - registraram crescimento acima da inflação.

O preço médio preço médio do metro quadrado no Brasil encerrou o quarto mês do ano em R$ 7.696. O Rio de Janeiro ainda é o município que apresenta o metro quadrado mais caro do Brasil (R$ 10.180), seguido por São Paulo (R$ 8.680) e Distrito Federal (R$ 8.445). O menor valor do metro quadrado neste mês ficou nas cidades de Contagem (R$ 3.519), Goiânia (R$ 4.106) e Vila Velha (R$ 4.632).

Em São Paulo os bairros com os valores mais elevados do metro quadrado foram Vila Nova Conceição (R$ 16.564), Jardim Europa (R$ 15.646), Jardim Paulistano (R$ 14.050), Itaim (R$13.340) e Vila Olímpia (R$ 12.649). Os bairros mais baratos são São Miguel Paulista (R$ 4.115), Grajaú (R$ 3.972), Artur Alvim (R$ 3.876), Cidade A. E. Carvalho (R$ 3.871) e Cidade Tiradentes (R$ 2.902).

Na capital carioca os maiores preços ficaram nos bairros Leblon (R$ 21.541), Ipanema (R$ 20.175), Lagoa (R$ 17.903), Gávea (R$ 17.240) e Jardim Botânico (R$ 16.402). Os valores mais baixos foram apresentados nos bairros Cosmos (R$ 2.914) Pavuna (R$ 2.605) Senador Camará (R$ 2.556) Coelho Neto (R$ 2.484) e Cavalcanti (R$ 2.269).

Em Belo Horizonte os preços mais altos estão nos bairros Savassi (R$ 11.787), Santo Agostinho (R$ 11.024), Funcionários (R$ 10.408), Lourdes (R$ 9.594) e Belvedere (R$ 8.975). Já os bairros mais baratos são Piratininga (R$ 3.043) Vale do Jatoba (R$ 2.972), Vitoria (R$ 2.927), Solar do Barreiro (R$ 2.834) e Serra Verde (R$ 2.716).