Índice FipeZap: valor de imóveis residenciais tem queda real de 5,48% em 2016 | Construção Mercado

Negócios

Notícias

Índice FipeZap: valor de imóveis residenciais tem queda real de 5,48% em 2016

Preço médio do metro quadrado ficou em R$ 7.662 nos municípios pesquisados

Luísa Cortés, do Portal PINIweb
9/Janeiro/2017
Shutterstock

O preço de imóveis residenciais subiu 0,13% em dezembro em relação ao mês anterior, segundo o Índice FipeZap divulgado no início do ano pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o ZAP Imóveis. Em 2016, a variação ficou em 0,57%, bem abaixo da inflação de 6,40% esperada para o período, o que presenta uma queda real de 5,48% no valor das unidades.

Das 20 cidades pesquisadas, sete variaram negativamente: Contagem, Curitiba, Distrito Federal, Fortaleza, Goiânia, Rio de Janeiro e Vitória. No acumulado do ano, quatro apresentaram queda nominal de preço (Distrito Federal, Goiânia, Niteroi e Rio de Janeiro) e todas apresentaram queda real. Veja tabela abaixo para mais detalhes.

O preço médio do metro quadrado ficou em R$ 7.662 nos municípios pesquisados. Os valores mais caros do País são Rio de Janeiro (R$ 10.214), São Paulo (R$ 8.641) e Distrito Federal (R$ 8.497). Os mais baratos pesquisados, Contagem (R$ 3.603), Goiânia (R$ 4.097) e Vila Velha (R$ 4.547).

Na cidade de São Paulo, foram observados os custos mais caros nos bairros de Vila Nova Conceição (R$ 15.963), Jardim Europa (R$ 14.934) e Jardim Paulistano (R$ 14.274). Os mais baratos foram Cidade Tiradentes (R$ 2.972), Itaim Paulista (R$ 3.542) e Guaianazes (R$ 3.675).

Já no Rio de Janeiro, os maiores preços estão localizados no Leblon (R$ 21.608), Ipanema (R$ 20.179) e Lagoa (R$17.996). Os menores, em Cavalcanti (R$ 2.311), Coelho Neto (R$ 2.459) e Pavuna (R$ 2.462).

Os maiores preços em Belo Horizonte foram Savassi (R$ 10.117), Funcionários (R$ 9.963), Lourdes (R$ 9.571). Os mais baratos foram Serra Verde (R$ 2.802), Califórnia (R$ 2.945) e Solar do Barreiro (R$ 2.955).

Imóveis comerciais

Os preços de imóveis comerciais, por sua vez, permaneceram em queda no Índice Fipezap. A redução foi de 0,45% para os preços de venda e 0,35% para os de locação. Em 12 meses, a diminuição foi de 3,70% e 9,24%, respectivamente. Considerada a inflação do período (6,99% segundo o IPCA/IBGE), a queda real dos preços chega a 15,17% no aluguel, e a 9,99% no caso das vendas.

O investidor em imóveis comerciais tem tido, em geral, perdas, em comparação a uma alternativa de menor risco (CDI). Nos últimos 12 meses da pesquisa, enquanto o CDI rendeu 14,1%, as saletas renderam apenas 1,7%.

As cidades com aluguéis mais rentáveis foram São Paulo (5,5%), Belo Horizonte (5,2%), Rio de Janeiro (4,8%) e Porto Alegre (4,7%).

A média das quatro capitais apontou, em novembro, para um preço de R$ 10.266 para venda e R$ 44 para locação. O município mais caro permanece sendo o Rio de Janeiro (R$ 11.731), seguido por São Paulo (R$ 10.594), Porto Alegre (R$ 8.087) e Belo Horizonte (R$ 7.410). Quanto à locação, as cidades mais caras foram São Paulo (R$ 47), Rio de Janeiro (R$ 47), Porto Alegre (R$ 32) e Belo Horizonte (R$ 32).

Em relação às vendas, os imóveis comerciais mais caros de são Paulo foram localizados nos bairros da Vila Madalena (R$ 17.031), Paraíso (R$ 13.461) e Jardins (R$ 13.075). Os mais baratos foram República/Santa Efigênia (R$ 4.164), Sé (R$ 4.216) e Vila Andrade (R$ 6.986). No Rio de Janeiro, os mais caros foram Leblon (R$ 38.739), Ipanema (R$ 26.126) e Jardim Botânico (R$ 24.999), e os mais baratos, Madureira (R$ 5.068), Pilares (R$ 5.582) e Taquara (R$ 5.923). Em Belo Horizonte, os preços mais caros estavam nos bairros de Prado (R$ 9.916), Belvedere (R$ 9.887) e Lourdes (R$ 9.701), e os mais baratos, em Gutierrez (R$ 6.348), Floresta (R$ 4.392) e no Centro (R$ 4.060).

As locações mais caras em São Paulo foram registradas nos bairros de Itaim (R$ 70), Pacaembu (R$ 68) e Bela Vista (R$ 63). As mais baratas, no Brás-Bresser (R$ 21), São Domingos (R$ 22) e Vila Maria (R$ 23). No Rio de Janeiro, os bairros mais caros nesse quesito foram Leblon (R$ 129), Ipanema (R$ 86) e Botafogo (R$ 85), e os mais baratos, Madureira (R$ 24), Méier (R$ 25) e Pechincha (R$ 28). As locações mais caras em Belo Horizonte estavam nos bairros de Belvedere (R$ 43), Santo Agostinho (R$ 42) e Cruzeiro (R$ 42), e as mais baratas, no Centro (R$ 20), Floresta (R$ 24) e Sagrada Família (R$ 25).

Destaques da Loja Pini
Aplicativos