Moodys considera positivas as mudanças no programa Minha Casa Minha Vida | Construção Mercado

Negócios

Notícias

Moodys considera positivas as mudanças no programa Minha Casa Minha Vida

Agência de classificação de risco acredita que medidas beneficiarão as construtoras brasileiras

Luísa Cortés, do Portal PINIweb
9/Fevereiro/2017
Divulgação: Caixa Econômica Federal

A agência de classificação de risco Moody's considerou positivas as mudanças estabelecidas no programa habitacional Minha Casa Minha Vida (MCMV). Em relatório divulgado na última terça-feira (7), ela declara que o aumento na quantidade de contratações beneficiará as construtoras, acelerando as vendas e fomentando novos lançamentos.

A Moody's ainda prevê implicações positivas à Caixa Econômica Federal, que opera o MCMV.

Segundo a agência de classificação de risco, as alterações ocorrem em um momento importante para o setor. "As medidas são positivas para as construtoras brasileiras porque suportam a demanda habitacional em um período em que as empresas estão lutando contra altos distratos e liquidez comprimida", relata.

Além disso, ela considera as medidas como uma "evidência do comprometimento do governo com a retomada do setor", apesar de esperar uma retomada apenas parcial do setor em 2017.

Novas medidas

Na última sexta-feira (6), o governo federal anunciou o aumento das faixas do MCMV, de acordo com o Imposto Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), de 7,69%. Isso garante às faixas os seguintes valores: de R$ 2.350 para R$ 2.600 na Faixa 1,5; de R$ 3.600 para R$ 4.000 e de R$ 6.500 para até R$ 9.000 nas Faixas 2 e 3, respectivamente.

Também foram prometidos o aumento do teto dos imóveis do programa e a contratação de mais 610 mil unidades em 2017. As medidas foram avaliadas de forma positiva pelas entidades do setor em geral, em espacial pelo o Sindicato da Indústria da Construção de São Paulo (SindusCon-SP), pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), e pelo Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo (Secovi-SP).

Leia mais:

Meta do Governo Federal é contratar 610 mil novas unidades no Minha Casa Minha Vida em 2017