Projeto de impermeabilização para habitação popular deve ser bem detalhado para evitar correções na obra

Contratar um projeto de impermeabilização para habitações populares requer cuidados. Embora o orçamento seja apertado para esse tipo de empreendimento, a qualidade do serviço deve ser a mesma que a de um condomínio de alto padrão. Além disso, um projeto falho tende a multiplicar as dores de cabeça, pois as edificações populares são feitas em grande escala.

“Um bom projeto é a melhor maneira de minimizar custos, pois evitará que se tomem decisões equivocadas durante a fase de obras”, diz Mércia Maria Bottura de Barros, professora da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). “Um erro no projeto será multiplicado inúmeras vezes na execução.

Para evitar um problema como esse, o primeiro passo é selecionar uma empresa projetista de confiança. “No Instituto Brasileiro de Impermeabilização (IBI), é possível buscar referenciais técnicos para atender às necessidades das construtoras e dos escritórios de arquitetura, consultando arquivos de acervos de obras executadas no mercado nos últimos 30 anos”, afirma Jacques Monet Junior, consultor da câmara de projetistas do IBI e ex-coordenador do Comitê Brasileiro de Impermeabilização, braço da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT/CB-022).

Na seleção, além de avaliar o currículo da empresa, a construtora deve buscar no mercado o parecer de quem já a contratou. “Podem ser feitas entrevistas com clientes da projetista para que opinem sobre a sua capacidade”, afirma Jorge Batlouni, vice-presidente de Tecnologia e Qualidade do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP). “Além disso, periodicamente ela pode ser avaliada segundo critérios preestabelecidos, como prazo de entrega e qualidade do detalhamento do projeto.”

Alguns quesitos são básicos no estabelecimento de um acordo com a empresa projetista. Entre eles destaca-se a necessidade da participação de seus profissionais em reuniões com empresas contratantes, arquitetos e outros projetistas, pois o projeto de impermeabilização é definido em conjunto com as especificações de instalações e arquitetura da edificação. A consolidação do sistema como um todo é tão importante para o resultado final quanto a qualidade dos produtos usados, segundo Monet Junior. “O êxito não depende só do produto utilizado, e sim do desempenho de todo o sistema construtivo, das etapas nos substratos da cobertura, nas áreas internas, nas lajes de térreo, jardins e subsolos”, diz.

Dessa maneira, a orquestração do projeto de impermeabilização com os de sistemas hidráulico e sanitário, de vedações e de revestimentos, por exemplo, é fundamental para evitar problemas futuros na estrutura. “É preciso haver um estudo preliminar, em que todos os projetistas sentem à mesa e exponham suas necessidades e limitações”, afirma Mércia. “Depois há uma primeira etapa na elaboração de cada projeto e uma nova reunião para que eles sejam todos compatibilizados.”

Um estudo prévio do terreno também é importante, conforme orienta a engenheira civil Virginia Pezzolo, diretora técnica da Proassp Assessoria e Projetos. Isso é necessário para verificar se existe umidade ascendente no local. Ela cita um projeto que realizou para a Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab) em que foi necessário tratar todo o piso sobre a terra por conta de uma infiltração vinda do subsolo. “Se isso não é feito adequadamente, a água pode subir pelas paredes, e já vi isso acontecer”, afirma.

Norma O projeto de impermeabilização tem de ser pormenorizado de acordo com as diretrizes da norma técnica NBR 9.575, que versa justamente sobre o tema. “Deve ter plantas detalhadas, memorial descritivo e planilhas”, indica Virginia. “Em todas as peças gráficas devem constar os dados do profissional responsável, legalmente habilitado. Existe no mercado quem ofereça projetos que não seguem a norma.”

Os materiais utilizados no processo de impermeabilização devem ser especificados no projeto por sua descrição técnica, para que haja flexibilidade na escolha de suas marcas. “O projeto deve permitir uma boa concorrência ao ser bem detalhado, completo e com especificações por desempenho, de modo que possam ser utilizados produtos de fabricantes diversos”, diz Batlouni.

No contrato com a empresa projetista, são necessárias cláusulas que abranjam custos, prazos de entrega e responsabilidades, bem como a obrigatoriedade de desenvolvimento segundo as normas técnicas vigentes. Além da NBR 9.575, há a NBR 9.574, de execução, que abrange relatórios técnicos e a verificação da mão de obra dos prestadores do serviço. Especificamente em relação a habitações de interesse popular, o parâmetro obrigatório é a norma de desempenho NBR 15.575. Também devem ser mencionadas as normas específicas dos sistemas de impermeabilização utilizados – cada sistema tem a sua – e dos materiais a serem aplicados na execução.

Um ponto que merece atenção especial da construtora ao escolher a empresa projetista são os detalhes que devem ser específicos para cada obra. “O projetista em geral tem uma biblioteca de detalhes, mas precisa definir os que serão particulares para aquele empreendimento em questão”, alerta Mércia. “Tenho de saber, por exemplo, como trato o ralo da cobertura, de acordo com as suas características específicas.”

Uma fonte de consulta para saber mais sobre o que precisa estar incluído em um projeto de impermeabilização, de acordo com a professora da Poli-USP, está no site Manuais de Escopo (http://www.manuaisdeescopo.com.br/manuais), coordenado pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) e que reúne 14 manuais atualizados de projetos da cadeia imobiliária.

O ideal é que a empresa projetista acompanhe toda a execução da obra de impermeabilização. “Isso deve estar em contrato, porque envolve o custo da dedicação de homens-hora da empresa, que não deveria abrir mão desse acompanhamento para verificar se o que projetou está sendo mesmo realizado”, explica Mércia. “O que acontece muitas vezes, porém, é a não inclusão desse acompanhamento no acordo em uma tentativa de redução de custos, e isso é muito prejudicial.”

CHECKLIST

– Busque referências da empresa projetista em acervos de obras executadas
– Certifique-se de que os profissionais da empresa possuem o devido registro
– A empresa deve se comprometer a participar de todas as etapas do projeto
– Também é importante que a empresa acompanhe a execução do serviço para verificar se o trabalho feito corresponde ao planejado
– O projeto deve ser o mais detalhado possível, com planilhas, memorial descritivo e plantas assinadas pelo profissional responsável
– Assegure-se de que no contrato constam cláusulas que abranjam custos, prazos e atendimento às normas

NORMAS TÉCNICAS

NBR 9.574 – Execução de Impermeabilização
NBR 9.575 – Impermeabilização – Seleção e Projeto
NBR 9.689 – Materiais e Sistemas para Impermeabilização
NBR 15.575 – Edificações Habitacionais – Desempenho

Veja também: