Editorial: a mudança como necessidade

A chegada de Michel Temer à Presidência e a expectativa de um grande ajuste fiscal criaram temores com relação à consistência do programa Minha Casa Minha Vida, que já vinha sofrendo cortes desde o ano passado. Com a escassez de recursos da União, apenas 3.770 unidades da faixa 1 foram contratadas neste ano, segundo informações enviadas em junho à Construção Mercado pelo Ministério das Cidades – muito pouco para um programa que contratou 4,157 milhões de imóveis entre 2009 e 2015. Mudar as bases de sustentação financeira do MCMV é preciso, mas o teor e a profundidade das transformações ainda requer discussão.

Nesta edição, a reportagem de capa se aprofunda na questão do fomento às moradias populares. Primeiro, especialistas e empresários fazem um balanço dos seis primeiros anos do MCMV e discutem o que seria necessário para torná-lo uma política permanente. Nesse sentido, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) teria fundamental importância.

Mudar as bases de sustentação financeira do MCMV é preciso, mas o teor e a profundidade das transformações ainda requer discussão

Também fomos em busca das experiências realizadas no Chile, na Colômbia e no México para entender como esses países sustentam seus programas habitacionais. As ações implantadas na América Latina serviram de inspiração para o próprio Minha Casa Minha Vida quando ele foi criado, em 2009.

A edição de julho traz ainda informações sobre o mercado de selftstorage no País e uma entrevista com o presidente da incorporadora EBM Desenvolvimento Imobiliário, Elbio Moreira, que aposta na expansão de seus negócios mesmo na crise. Sediada em Goiânia, a empresa de Moreira voltará a realizar lançamentos em São Paulo após seis anos atuando fora do Estado – um caso curioso se lembrarmos que muitas empresas se aventuraram na última década em praças onde elas tinham pouco conhecimento, com resultados ruins.

A seção técnica da revista traz uma ampla discussão sobre o uso de aço cortado e dobrado em fábrica. Na seção Infraestrutura Urbana, o destaque é a obra da linha de BRT Transolímpica, que facilitará a mobilidade no Rio de Janeiro durante os Jogos Olímpicos. Boa leitura!

Gustavo Coltri
Editor-assistente

Veja também: