Em off: bastidores da construção

À espera

Ao enumerar as vantagens da terceirização para o setor imobiliário, o presidente do Secovi-SP, Flavio Amary, destacou a redução de custos, simplificação de processos administrativos e da burocracia, agilidade decisória e maior produtividade, entre outros benefícios. “É indiscutível que o Brasil não pode continuar dando as costas para uma realidade mundial. Há levantamentos indicando que na Europa, nos Estados Unidos e no Japão a terceirização já alcança 90% da produção”, afirmou Amary. “Trata-se de uma medida básica para tornar as empresas cada vez mais eficazes e competitivas, o que resulta em produtos mais baratos para o consumidor final, incremento nos negócios e, consequentemente, mais empregos. É o que nós esperamos, assim como os mais de 12 milhões de brasileiros desempregados.”

Vem concessão por aí

Fundada em 1554, a cidade de São Paulo ainda não tem banheiros públicos (descontando-se aqueles químicos instalados temporariamente durante eventos). Agora terá. “Vamos fazer uma concessão de banheiros públicos, que serão permanentes, limpos, iluminados e seguros, concessionados a uma empresa privada como acontece na França e na Alemanha”, anuncia o prefeito eleito João Doria. “Eles terão publicidade discreta mas numa arquitetura bonita, oferecendo um serviço que hoje não está disponível aos cidadãos.”

Horizonte

Até o ano 2050, metade do PIB mundial virá da China e da Índia, como era em 1800, segundo a consultora e cientista política indiana Vishakha N. Desai, eleita uma das cem mulheres mais poderosas do mundo em cargo de liderança.

BATE-ESTACA

Reforço no caixa
A repatriação de quase R$ 170 bilhões em recursos brasileiros aplicados no exterior gerou uma receita líquida de R$ 50,9 bilhões aos cofres públicos. Esse volume extra de dinheiro representa quase o dobro do planejado pela ex-presidente Dilma Rousseff com a volta da CPMF – que, por fim, não se concretizou. Além de reforçar o caixa para tapar a cratera de déficit herdado da gestão Dilma, a repatriação sinaliza êxito quase garantido na cruzada pela retomada da economia. O resultado da operação foi tão bem-vindo que o presidente MIchel Temer e sua equipe já planejam reeditá-la novamente em 2017.

Popular sustentável
As construtoras estão ampliando a oferta de empreendimentos de baixo e médio padrão que ajudam a poupar recursos naturais. Com apartamentos de até 75 m² e valores entre R$ 180 mil e R$ 400 mil, os residenciais Klubhaus de Cajamar (na Grande São Paulo) e Jundiaí (no interior do Estado) serão entregues com o selo de sustentabilidade Aqua-HQE (Alta Qualidade Ambiental). A certificação garante que os empreendimentos terão captação de água pluvial para uso na limpeza do estacionamento e geração de energia solar para iluminação das áreas comuns, por exemplo. O projeto deve garantir uma economia de 17% a 25% de eletricidade, e de 25% a 35% de água em áreas comuns, segundo valores estimados pela Hausbau, incorporadora responsável pela obra, e a Fundação Vanzolini, que concede o selo.

Veja também: