Obra da Toctao Engenharia, Parque Flamboyant 56, em Goiânia, aposta em produtividade e sofisticação

A Toctao Engenharia concluiu em maio de 2015 as obras do residencial Parque Flamboyant 56. Localizado no bairro Jardim Goiás, em Goiânia (GO), o empreendimento com apenas uma torre possui 39 pavimentos, sendo dois subsolos, um pavimento térreo, 34 pavimentos-tipo e dois dúplex. São dois apartamentos por andar, um total de 70 unidades.

O projeto ocupa um terreno de 4.252,09 m², totalizando 32.782,94 m² de área construída, com um orçamento de aproximadamente R$ 61 milhões. Um dos itens mais onerosos do projeto foi a estrutura garagem, de R$ 7,2 milhões, o mesmo que 18,01% do orçamento. A estrutura foi executada com a utilização de concreto autoadensável, que possibilitou a produtividade da mão de obra e a logística.

A etapa de fundações correspondeu a 5,61% do orçamento, cerca de R$ 3,5 milhões. Na periferia, o tipo de fundação utilizado foi o tubulão, e no corpo da torre empregou-se tubulões e estacas tipo hélice contínua sob blocos de coroamento, por causa das características do solo e do lençol freático da região do empreendimento.

Com 5,18% do custo total da obra, as instalações elétricas, hidrossanitárias, para incêndio e o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) são convencionais. Ainda há a previsão de instalação de sistema de automação nos apartamentos; sistema de aquecimento individualizado (com o equipamento Boiler com a opção de ser elétrico ou a gás); sistema individualizado de medição de energia; sistema de aspiração central e escadas de emergência pressurizadas.


Rendimento

O diretor de produção da Toctao, Bruno Alvarenga de Menezes, conta que as soluções que geraram mais produtividade à obra em termos de cronograma e desempenho foram as seguintes: utilização de minigrua para abastecimento de aço da estrutura da torre; elevadores de obra tipo cremalheira (cabine dupla) para abastecimento de material e para transportes de pessoas; uso de argamassa estabilizada para a execução de reboco interno; sistema de Transporte de Argamassa por Gravidade (TAG) para o reboco externo; balancim elétrico para pintura; contrapiso autonivelante nos pavimentos-tipo e fachada ventilada (com acabamento em granito).
“A minigrua auxiliou no abastecimento de aço, liberando os elevadores cremalheira para abastecimento dos demais materiais. Optamos pela argamassa estabilizada para a execução do revestimento interno (reboco interno) justamente por ser uma argamassa entregue já pronta para aplicação na obra. Durante a execução desse serviço foi necessária uma equipe específica, bem como uma logística de abastecimento diferenciada no período noturno”, explica Menezes.
O diretor de produção da Toctao, Bruno Alvarenga de Menezes, conta que as soluções que geraram mais produtividade à obra em termos de cronograma e desempenho foram as seguintes: utilização de minigrua para abastecimento de aço da estrutura da torre; elevadores de obra tipo cremalheira (cabine dupla) para abastecimento de material e para transportes de pessoas; uso de argamassa estabilizada para a execução de reboco interno; sistema de Transporte de Argamassa por Gravidade (TAG) para o reboco externo; balancim elétrico para pintura; contrapiso autonivelante nos pavimentos-tipo e fachada ventilada (com acabamento em granito).

Ele acrescenta que o TAG foi utilizado no reboco externo por permitir maior agilidade no abastecimento de cimento e areia também no período noturno. Provisoriamente foi montada uma central (betoneira) no 16o pavimento-tipo, em que o cimento e a areia eram armazenados e, por meio de funis conectados a dutos de ferro galvanizado, transportados até cada equipe de balancim elétrico para aplicação na fachada.

Por fim, os revestimentos internos e externos contaram com um percentual relevante do orçamento: 17,57%. Somente o revestimento externo custou R$ 3.141.287,07, e um dos seus diferenciais é a fachada ventilada. “De maneira geral, a utilização desses métodos e serviços auxiliou na redução de custo na obra, devido à melhoria da logística, à economia de mão de obra e à redução de retrabalho pela maior qualidade final dos serviços”, afirma Menezes.

 

Conceito
Inovador e exclusivo, o projeto arquitetônico do Parque Flamboyant 56, feito pela Primi e Appoloni Arquitetura, remodela os espaços de uso comum, normalmente encontrados em condomínios verticais. As grandes áreas de lazer estão distribuídas sob uma extensa marquise, onde se localiza a torre. Essa marquise funciona como elemento organizador dos espaços comuns e, ao mesmo tempo, estabelece leveza e harmonia ao empreendimento, caracterizado pela contemporaneidade da arquitetura e sobriedade do desenho da torre.

O projeto de paisagismo, realizado pela Marcelo Novaes Arquitetura Paisagística e orçado em R$ 280.977,10, teve como partido estabelecer uma conexão com o conceito do projeto de arquitetura, integrando os espaços e a circulação. Logo na entrada do empreendimento a marquise norteia a circulação e abriga os ambientes externos, exibindo um imponente espelho d””água, que marca e garante sofisticação ao espaço.

Além de apostar em uma localização privilegiada, em frente a um parque, a Toctao Engenharia investiu em um projeto com acabamento de alto padrão: manta acústica no piso das suítes dos apartamentos; cinco pontos de aspiração central nos apartamentos; varanda gourmet em cada unidade; academia equipada; sauna; salão de festas e gourmet; churrasqueira na área de lazer e pulmão de segurança para acesso de pessoas e veículos.

A instalação dos elevadores levaram 2,08% do orçamento do empreendimento. São dois elevadores de serviços, e os elevadores sociais são privativos, com velocidade diferenciada de 2,5 m/s. O Parque Flamboyant 56 também tem piscina semiolímpica climatizada e coberta; piscina de lazer externa com aquecimento por sistema de trocador de calor; car wash; quadra de esporte e de squash; playground e brinquedoteca.

Peculiaridades
Do projeto à execução, a equipe de construção do Parque Flamboyant 56 enfrentou alguns desafios, entre eles a altura superior a 115 m da torre, que desafiou a logística de abastecimento; a liberdade na personalização dos apartamentos; e o principal: a redução dos transtornos e das interferências que poderiam ser causados à vizinhança. Atendendo à essa necessidade, que também é realidade em outras obras, a Toctao Engenharia desenvolveu o Projeto Vizinho Amigo, com o objetivo de abrir um canal de comunicação com as comunidades vizinhas das suas obras. O último empreendimento a utilizá-lo foi o Parque Flamboyant 56.

Os moradores do Edifício Chablis, por exemplo, receberam a visita dos engenheiros do Parque Flamboyant 56, e a equipe da Toctao Engenharia prestou esclarecimentos sobre o funcionamento da construção e deixou seus contatos acessíveis aos moradores. Do outro lado do parque, os vizinhos da obra do Flamboyant Park Business, empreendimento da Opus e da Flamboyant Urbanismo que está sendo também construído pela Toctao Engenharia, receberam um cartão especial da construtora sobre a realização da obra, no Jardim Goiás. No cartão, os destinatários foram apresentados ao Projeto Vizinho Amigo.

Por Dellana Wolney

Veja também: