Modernização do Grupo Pini e um novo modelo de premiação foram os destaques do Prêmio Pini 2017

Já em dezembro de 2016, o Grupo Pini anunciou que o consagrado Prêmio Pini ganharia um novo formato em 2017. Alinhado à modernização e digitalização do Grupo que é a principal referência no setor da construção civil no Brasil, o Prêmio foi totalmente reformulado. A nova estrutura de premiação reconheceu as seguintes categorias: Melhores Obras, Casos de Sucesso da Indústria, Lançamentos de Sistemas, Produtos e Equipamentos, Iniciativas Setoriais, com impacto positivo, no Meio Ambiente e na Sociedade. “Instituímos, sempre baseados nos princípios permanentes de transparência da premiação, uma Banca de Premiação, formada pelas entidades e instituições de maior significado no setor: ABCP, ABNT, ABRAINC, ABRAMAT, APeMEC, APEOP, AsBEA, CAU BR, CBCS, CBIC, CIETEC, CREA SP, EPUSP, FAUUSP,FDTE, VANZOLINI, IAB SP, IE SP, IPT, SECOVI, SindusCon-SP”, explica Mário Sérgio Pini, relações-institucionais do Grupo Pini. Além disso, com pleno reconhecimento, os organizadores do evento criaram uma categoria única de premiação: Maiores Vencedores do Prêmio PINI, a partir da estatística de todas as empresas vencedoras, desde 1994.

O novo modelo da premiação foi apresentado ao público em café da manhã realizado no Centro Britânico na cidade de São Paulo em 5 de setembro. Na ocasião os presentes tiveram a oportunidade de ouvir a explanação de Michel Wurman, do BTG Pactual, sobre os cenários de investimento para o setor da construção. Alento para os presentes, o discurso contundente do especialista mostrou matematicamente a virada do setor rumo a curvas ascendentes.

Na noite da premiação, após um coquetel com a presença da diretoria dos indicados ao prêmio, conselheiros editoriais das revistas Construção Mercado e Téchne e os principais players do mercado da construção civil no Brasil, o presidente dos SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto abriu os trabalhos com seu pronunciamento- magno. Em seguida, o esidente do Grupo Pini René Agostinho deu início à cerimônia, realizada na sede da FIESP, na Avenida Paulista, expondo ao público o novo modelo de negócios da empresa. “A PINI, em 2018, ingressa, em seu septuagésimo ano de vida sempre dedicada ao desenvolvimento profissional e empresarial, institucional e tecnológico do setor da construção civil, e, sem receio de erro, afirmo que esse evento foi fato de grande brilhantismo em toda a trajetória da empresa, destacadamente, por ter se realizado na FIESP, espaço de máximo significado para o capital industrial brasileiro”, discursou Agostinho.

Uma nova Pini

A Pini é hoje uma empresa digital e tem sua trajetória empresarial, desde 1948, totalmente dedicada ao desenvolvimento dos agentes do setor da construção Civil brasileira: estudantes, profissionais e empresários, construtores e empreiteiros, mais órgãos públicos e instituições financeiras. Publica há setenta anos reconhecidas e qualificadas revistas: Construção Mercado, Téchne, em colaboração com o IPT, Arquitetura e Urbanismo, Infraestrutura Urbana e Equipe de Obra. Edita livros para a difusão de conhecimento e tecnologia, tendo cerca de 200 títulos de autores consagrados. Desenvolve o Volare, o mais conhecido e utilizado sistema de formação do preço e controle de custos de obras.

Apresenta uma extensa e completa grade de cursos de atualização profissional, com mais de 60 temas, aprovados e, renovadamente, consumidos pelo mercado. “Ao longo das suas décadas de existência, a Pini associou à sua imagem atributos de transparência, confiança e precisão da informação. Assim, consolida-se sua recente frente de dedicação, a Pini Inteligência, voltada à consultoria de engenharia, compliance, perícias, arbitragem de conflitos, para empresas, órgãos públicos, TCU/ TCEs/ TCMs, Ministério Público”, explica Agostinho.

“A Pini hoje é uma empresa digital: toda a sua mídia, em novembro deste ano, migrou do formato papel para o formato digital, implementando uma estratégia pioneira, inspirada nos movimentos globais de consumo de informação e conhecimento”, completa Mário Pini.

Um novo modelo

O Prêmio PINI 2017 teve como grande diferencial a criação de uma banca de premiação, formada pelas principais entidades e instituições profissionais, empresariais, de ensino e pesquisa, selecionando: Melhores Obras, Principais Lançamentos da Indústria, Soluções de apoio ao Projeto e Execução, Iniciativas Setoriais de Sucesso.

A participação destes agentes foi decisiva, principalmente, na categoria melhores obras. “A melhor obra tem origem em projeto qualificado de arquitetura”, explica Mário Pini. “O Prêmio Pini Melhores da Construção 2017 alcançou conjunto expressivo de fatores críticos de sucesso, destacadamente pela colaboração oferecida por todos, que se materializou no apoio de divulgação prévia do evento e na designação do mais importante foro decisório, a banca de premiação, conferindo ao Prêmio PINI 2017 imagem e marca de credibilidade”, comemora Fernando Sabadin, diretor comercial do Grupo.

A banca identificou as melhores obras construídas nos últimos 18 meses, dentre os usos habitacional, comercial, institucional, multiuso, industrial ou obra de Infraestrutura. René encerrou o evento agradecendo os patrocinadores Caixa Econômica Federal (Governo Federal) e Votorantim, convidando a todos para o Prêmio Pini 2018.

A banca de premiação

A avaliação e premiação dos objetos concorrentes foi de responsabilidade da banca de premiação, cujos membros representam as principais instituições e entidades empresariais e profissionais do setor:

  • Salvador Benevides — CB 002 ABNT
  • Renato Ventura — ABRAINC
  • Hamilton Leite Jr. — SECOVI
  • Sérgio Cincurá — SindusCon SP
  • Marcelo Barbosa — AsBEA
  • André Gertsenchtein — FDTE
  • Thomas Rose — Fundação Vanzolini
  • Alex Kenia Abiko — POLI USP
  • Hugo Rodrigues — ABCP
  • Sergio Risola — CIETEC
  • Gilberto Belleza — CAU SP + CAU BR
  • Dionyzio Klavdianos — CBIC
  • Marco Artigas — IAB SP
  • Elias Hiss — APeMEC
  • Caio Carvalho — FAU-USP
  • Carolina Mendes — CBCS
  • José Maria de Camargo Barros — IPT
  • Laura Marcellini — ABRAMAT
  • Guilherme Monteiro — CREA SP
  • Carlos Eduardo Lima Jorge — APEOP
  • Marilia Ravasio — IE-SP

Confira a seguir a lista dos premiados:

MAIORES VENCEDORES EM 22 ANOS

■ Atex
■ Atlas Schindler
■ Baram
■ Blindex
■ Bosch
■ Brasilit
■ Canteiro
■ Cassol
■ Caterpillar
■ Deca
■ Dormakaba
■ Duratex
■ Eliane
■ Engemix
■ Eternit
■ Eucatex
■ Eurobrás
■ Formica
■ Gerdau
■ GVA/Madeirit
■ Gypsum
■ Knauf AMF
■ Knauf Drywall
■ Lumini
■ Luxalum
■ Maccaferri
■ Mecan – Grupo Orguel
■ Mills
■ Papaiz
■ Philips
■ Pial Legrand
■ Pilkington
■ Portobello
■ Precon
■ Prysmian
■ Sasazaki
■ SH Fôrmas
■ Siemens
■ Sika
■ Sil
■ Sincol
■ Soletrol
■ Suvinil
■ Tarkett Fademac
■ Tigre
■ Usiminas
■ Vedacit
■ Viapol
■ Votorantim Cimentos
■ Weber Quartzolit

Da Redação

Veja também: