Venda de imóveis usados cresce pelo segundo mês consecutivo em São Paulo, aponta Crecisp

As vendas de imóveis usados do estado de São Paulo mantiveram em fevereiro o movimento de registrado em janeiro, acumulando um crescimento de 28,62% no primeiro bimestre do ano. A expansão em fevereiro, especificamente, foi de 11,58%, cinco pontos percentuais abaixo dos 17,04% registrados em janeiro, até agora o melhor resultado em oito anos. A pesquisa é do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Crecisp).

No mês, o crescimento foi puxado por três das quatro regiões que compõem a pesquisa: Capital (+ 6,74%), Interior (+34,71%) e as cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco (+ 95,92%). No Litoral, as vendas caíram 29,68%.

Mais da metade (54,63%) das casas e apartamentos vendidos custou aos novos donos até R$ 300 mil. O preço médio do metro quadrado da maioria (53,38%) das unidades vendidas em fevereiro foi de até R$ 4 mil.

Nas 948 imobiliárias que responderam à pesquisa do Crecisp, a maioria das comercializações – 49,7% do total – foi feita com financiamento bancário. No dia 16 de abril, a Caixa Econômica Federal anunciou que voltou a financiar até 70% do valor dos imóveis usados (era 50%) e que reduziu os juros de 10,25% ao ano para 9% ao ano para imóveis de até R$ 800 mil, para todo país, exceto para Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, onde o limite é de R$ 950 mil. 

Para José Augusto Viana Neto, presidente do Crecisp, é mais que um bom começo de ano. “Assinala que nem um mês datado por eventos que retiram dos compradores a atenção, recursos e o interesse sobre eventual compra de imóvel, como o são o Carnaval e o restante das férias escolares, foi capaz de fazer as vendas retrocederem”, afirma.

Por Gabriel Gameiro

Veja também: