Índice FipeZap registra quarto mês seguido com estabilidade no preço de venda de imóveis residenciais

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o ZAP Imóveis informaram na última semana que o Índice Fipezap de imóveis residenciais encerrou o mês de abril com nova estabilidade (-0,01%). Com a inflação esperada de 0,31% para o mês, tal como projeta o Boletim Focus do Banco Central, os preços de venda de imóveis residenciais apresentaram queda real de 0,32% no período.

Avaliadas individualmente, 12 das 20 cidades pesquisadas apresentaram queda nominal no preço médio, com destaque para Distrito Federal (-0,55%), Recife (-0,26%), Fortaleza e Rio de Janeiro (ambas com -0,21%). Já entre as oito cidades que registraram aumento de preço no período, as maiores variações foram observadas em São Caetano do Sul (+0,45%), Belo Horizonte (+0,41%) e Vila Velha (+0,30%). Considerando os últimos 12 meses, o Índice FipeZap aponta recuo (-0,70%) no preço médio dos imóveis residenciais.

Com os resultados apresentados, o preço de venda de imóveis residenciais nas 20 cidades analisadas acumula queda real de 3,46% nos últimos 12 meses. Em abril de 2018, o valor médio de venda dos imóveis residenciais nas 20 cidades monitoradas foi de R$ 7.546/m². Rio de Janeiro se manteve como a cidade com o metro quadrado mais caro do país (R$ 9.641/m²), seguida por São Paulo (R$ 8.734/m²). Já as cidades com menor valor médio por m2 foram Contagem (R$ 3.501/m²) e Goiânia (R$ 4.113/m²).

Bairros Na perspectiva por bairro, a capital paulista apresentou os maiores preços médios do metro quadrado na Cidade Jardim (R$ 19.867), Vila Nova Conceição (R$ 17.500), Vila Olímpia (R$ 13.576), Itaim Bibi (R$ 13.527) e Jardins (R$ 12.089). Já os bairros com os preços mais baixos foram Sapopemba (R$ 4.341), Itaquera (R$ 4.316), Itaim Paulista (R$ 3.897), Artur Alvim (R$ 3.875) e Cidade Tiradentes (R$ 3.582).

No Rio de Janeiro os bairros com os preços mais caros por metro quadrado foram Leblon (R$ 20.748), Ipanema (R$ 19.343), Lagoa (R$ 16.768), Gávea (R$ 15.932) e Jardim Botânico (R$ 15.044). Os preços mais em conta, ficaram nos bairros Turiaçu (R$ 2.685), Senador Camará (R$ 2.672), Cavalcanti (R$ 2.649), Coelho Neto (R$ 2.416) e Pavuna (R$ 2.256).

Em Belo Horizonte, os bairros com os preços mais caros por metro quadrado foram Belverde (R$ 9.234), Barro Preto (R$ 8.078), Carmo (R$ 7.789), Anchieta (R$ 7.429) e Cruzeiro (R$ 7.225). Os menores valores, no entanto, ficaram nos bairros Flavio Marques Lisboa (R$ 3.282), Califórnia (R$ 3.167), Bonsucesso (R$ 3.146), Conjunto Califórnia (R$ 3.036) e Europa (R$ 2.912).

Em Vila Velha e Vitória os valores mais elevados do metro quadrado por bairros ficaram no Barro Vermelho/Vitória (R$ 7.093), Mata da Praia/Vitória (R$ 6.903), Praia do Canto/Vitória (R$ 6.509), Enseada do Suá/Vitória (R$ 6.293) e Morada de Camburí/Vitória (R$ 5.926). Os menores valores foram registrados nos bairros Boa Vista/Vila Velha (R$ 2.501), Centro/Vitória (R$ 2.453), Jockey de Itaparica/Vila Velha (R$ 2.419), Vale Encantado/Vila Velha (R$ 2.294) e Riviera da Barra/Vila Velha (R$ 1.995).

Na cidade de Porto Alegre os bairros com os preços mais caros por metro quadrado foram Bela Vista (R$ 8.379), Moinhos de Vento (R$ 8.170), Mont’Serrat (R$ 7.888), Auxiliadora (R$ 7.531) e Boa Vista (R$ 7.247). Por outro lado, os bairros com os valores mais baixos foram Coronel Aparício Borges (R$ 3.911), Farrapos (R$ 3.898), Humanitá (R$ 3.788), Mário Quintana (R$ 3.501) e Lomba do Pinheiro (R$ 3.292).

A capital paranaense apresentou os preços mais altos no Batel (R$ 7.390), Campina do Siqueira (R$ 7.207), Alto da Glória (R$ 7.065), Hugo Lange (R$ 7.052) e Mercês (R$ 6.895). Os preços mais baratos ficaram nos bairros Sítio Cercado (R$ 3.227), Barreirinha (R$ 3.203), Tatuquara (R$ 2.917), Cachoeira (R$ 2.875) e Campo de Santana (R$ 2.848).

Em Florianópolis, os bairros com as maiores variações foram Jurerê Internacional (R$ 9.826), Jurere (R$ 8.724), Agronômica (R$ 8.199), Centro (R$ 7.952) e Campeche (R$ 7.454). Os bairros com os menores preços foram: Ingleses (R$ 4.314), Coloninha (R$ 4.152), Vargem do Bom Jesus (R$ 3.694), Vargem Grande (R$ 3.481) e Rio Vermelho (R$ 2.094).

A capital pernambucana deteve os maiores preços nos bairros Pina (R$ 7.307), Poço (R$ 6.863), Jaqueira (R$ 6.714), Rosarinho (R$ 6.622) e Recife (R$ 6.364). Os valores mais baixos ficaram nos bairros Cordeiro (R$ 4.178), Iputinga (R$ 4.062), Engenho do Meio (R$ 3.707), Tejipó (R$ 3.707) e Derby (R$ 3.656).

Por fim, em Fortaleza os maiores valores foram registrados no Meireles (R$ 7.513), Mucuripe (R$ 7.310), Guararapes (R$ 7.135), Praia de Iracema (R$ 6.717) e Manuel Dias Branco (R$ 6.352). Enquanto os preços mais baratos foram encontrados nos bairros Mondubim/Sede (R$ 3.100), Prefeito José Walter (R$ 2.953), Parreão (R$ 2.924), Bela Vista (R$ 2.327) e Jangurussu (R$ 2.224).

Por Gabriel Gameiro

Veja também:

ATENÇÃO ASSINANTES!

O acesso às edições mais recentes das revistas AU – Arquitetura e Urbanismo, Construção Mercado, Equipe de Obra, Infraestrutura Urbana e Téchne foi restabelecido em nossa plataforma digital.